2º Trimestre de 2010

 

Data: 20 de Junho de 2010

TEXTO ÁUREO

“Escolhendo, antes, ser maltratado com o povo de Deus do que por, um pouco de tempo, ter o gozo do pecado; tendo, por maiores riquezas, o vitupério de Cristo” (Hb 11.25,26).

VERDADE PRÁTICA

Como homens de Deus, esta é a única alternativa: optar em permanecer com o povo de Deus, ainda que isto nos custe sacrifícios, perdas e até a própria vida.

LEITURA DIÁRIA

Segunda – Gn 12.1-4

A opção de Abraão

Terça – Gn 45.5-7

A opção de José

Quarta – Hb 11.25,26

A opção de Moisés

Quinta – Et 4.14-16

A opção de Ester

Sexta – Jr 40.6

A opção de Jeremias

Sábado – Fp 2.1-11

A opção de Cristo

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Jeremias 40.1-6.

1 – Palavra que veio a Jeremias, da parte do SENHOR, depois que Nebuzaradã, capitão da guarda, o deixou ir de Ramá, quando o tomou, estando ele atado com cadeias no meio de todos os do cativeiro de Jerusalém e de Judá, que foram levados cativos para a Babilônia;

2 – porque o capitão da guarda levou a Jeremias e lhe disse. O SENHOR, teu Deus, pronunciou este mal contra este lugar;

3 – e o SENHOR o trouxe e fez como tinha dito, porque pecastes contra o SENHOR e não obedecestes à sua voz; pelo que vos sucedeu tudo isto.

4 – Agora, pois, eis que te soltei, hoje, das cadeias que estavam sobre as tuas mãos. Se te apraz vir comigo para a Babilônia, vem, e eu velarei por ti; mas, se te não apraz vir comigo para Babilônia, deixa de vir. Olha: toda a terra está diante de ti; para onde parecer bom e reto aos teus olhos que vás, para ali vai.

5 – Mas, como ele ainda não tinha voltado, disse-lhe: Volta a Gedalias, filho de Aicão, filho de Safã, a quem o rei da Babilônia pôs sobre as cidades de Judá, e habita com ele no meio do povo; ou, se para qualquer outra parte te aprouver ir, vai. Deu-lhe o capitão da guarda sustento para o caminho e um presente e o deixou ir.

6 – Assim, veio Jeremias a Gedalias, filho de Aicão, a Mispa e habitou com ele no meio do povo que havia ficado na terra.

INTERAÇÃO

Caro professor, a vida de Jeremias evidencia que a retórica do viver é mais convincente que a do falar. Portanto, além do estudo e da preparação da lição, do aprofundamento do assunto e da didática empregada, é imprescindível que a sua vida esteja coerente com suas palavras, ou seja, seu viver deve ser uma pregação autêntica, a fim de que até mesmo os ímpios possam reconhecer o poder de Deus em sua vida (Jr 40.1-5).

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

Identificar na história de Israel o cumprimento das profecias de Jeremias.
Comparar a vida de Jeremias a de outros personagens bíblicos que se sacrificaram pelo povo.
Refletir a respeito de suas escolhas ao longo da jornada cristã aqui na terra.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

No primeiro tópico, abordamos o cumprimento das profecias de Jeremias. Portanto, para introduzi-lo, convide os alunos a pesquisarem no livro tais profecias e seu cumprimento. Para auxiliá-lo, aí vão algumas sugestões:

• A invasão dos Babilônios e a destruição de Israel (Jr 4.5-7);

• A destruição dos inimigos (Jr 12.14);

• O estado de calamidade de Israel ao longo da execução do juízo divino (Jr 19.7-9);

• A destruição de Israel por Nabucodonosor (Jr 21.4-7);

• Juízo contra os reis de Judá (Jr 22.11,12,18,19,24-26,28-30);

• Duração do cativeiro de Israel na Babilônia (Jr 25.11);

• Retorno do cativeiro (Jr 30.3).

COMENTÁRIO

introdução

Palavra Chave

Opção: Ato ou faculdade de optar; livre escolha.

O que Jeremias profetizara, cumpriu-se. Jerusalém foi destruída; o povo jaz cativo; os mortos acumulam-se nas ruas e nas praças!

Em meio à tragédia, o comandante babilônio oferece uma opção ao profeta. Se quisesse, poderia ficar em Judá com o remanescente. Ou, então, ser levado a Babilônia onde seria tratado com real deferência. Uma vez mais, demonstrando sua fidelidade a Deus e sacrificando-se pelo povo a quem tanto amava sem ser amado, opta Jeremias por permanecer em Judá.

Neste domingo, o Senhor também nos chama a fazer uma opção. Pela fé, optou Moisés pelo povo de Deus: “Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado; tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa” (Hb 11.25,26).

I. AS PROFECIAS DE JEREMIAS SE CUMPREM

1. A destruição de Jerusalém. Aquele ano jamais seria esquecido: 586 a.C. No calendário hebreu, corria o décimo mês do nono ano do rei Zedequias (Jr 39.1). Nesta data, os exércitos de Babilônia derribam os muros de Jerusalém e profanam a mais formosa das cidades. Em seguida, deitam por terra o Santo Templo, matam ao rei Zedequias e levam cativos, à Babilônia, os judeus mais aquinhoados e ricos. Na terra, já tomada pela desolação e pavor, deixam apenas os pobres e desvalidos.

Para se ter uma imagem mais clara desta tragédia, leia as seguintes passagens: Jeremias 39; 2 Reis 25 e 2 Crônicas 36.

2. O fiel cumprimento das palavras de Jeremias. Cumprem-se as palavras de Jeremias; nenhuma delas cai por terra. Ali estava um homem de Deus que falou em nome de Deus, mas o povo de Deus não lhe deu ouvidos. Onde, agora, os profetas que, superficialmente, curavam as feridas do povo? Onde aqueles que prometiam paz e prosperidade? Que esta lição seja devidamente considerada por todos nós.

SINOPSE DO TÓPICO (I)

Todas as profecias de Jeremias em relação à destruição de Israel se cumpriram.

II. A OPÇÃO DE JEREMIAS

1. Jeremias sob custódia. Com a captura de Jerusalém, o profeta fica sob a custódia de Nebuzaradã (Jr 40.1,2), que o encontrara nas cercanias de Ramá, localizada a poucos quilômetros ao norte de Jerusalém. Esta cidade, pertencente a tribo de Benjamim, serviu provavelmente de centro de triagem para separar os judeus que seguiriam a Babilônia dos que permaneceriam na terra.

Algemado, o profeta é levado à presença do capitão babilônio que, seguindo a instrução de seus superiores, trata-o com respeito e consideração (Jr 40.1,4). Afinal, Jeremias sempre aconselhara os reis de Judá a não se arvorarem contra Babilônia nem a bandearem para o lado dos egípcios.

2. A teologia em boca de ímpio. Quando o capitão da guarda babilônica encontrou a Jeremias, pôs-se a teologizar: “O SENHOR, teu Deus, pronunciou este mal contra este lugar; e o SENHOR o trouxe e fez como tinha dito, porque pecastes contra o SENHOR e não obedecestes à sua voz; pelo que vos sucedeu tudo isto” (Jr 40.3,4).

Como um gentio idólatra e estranho à comunidade de Israel poderia ter uma ideia tão clara da justiça de Deus? De qualquer forma, havia ele entendido perfeitamente a justiça divina, enquanto que os judeus, iludidos pelos falsos profetas e pregadores, esperavam uma paz que não existia e uma prosperidade que já era miséria.

É hora de despertarmos dessa letargia, e passar a entender o que nos tem reservado o Senhor (Ef 5.14-18). Se perseverarmos na fé, herdaremos as eternas bem-aventuranças. Caso contrário: seremos destruídos (Is 30.21).

3. A opção de Jeremias. O mesmo Nebuzaradã oferece uma opção a Jeremias: “Agora, pois, eis que te soltei, hoje, das cadeias que estavam sobre as tuas mãos. Se te apraz vir comigo para a Babilônia, vem, e eu velarei por ti; mas, se te não apraz vir comigo para Babilônia, deixa de vir. Olha: toda a terra está diante de ti; para onde parecer bom e reto aos teus olhos que vás, para ali vai” (Jr 40.5).

O profeta poderia ter optado por Babilônia onde certamente haveria de ser bem tratado. Mas lá já estavam dois profetas: Daniel e Ezequiel. Ao passo que, em Judá, nenhum pastor havia para aquela gente abandonada. Por isso, opta Jeremias por ficar com os restantes do povo de Deus. Assim, põe-se sob a proteção de Gedalias – um nobre judeu encarregado de governar a terra em nome do governo babilônio.

Você já fez a sua opção pelo povo de Deus? O povo de Deus necessita de quem lhe cuide da alma e lhe unte as feridas.

SINOPSE DO TÓPICO (II)

Jeremias escolheu permanecer com o povo de Israel em Judá ao invés de ir para a Babilônia.

III. COMO OS HERÓIS DA FÉ FIZERAM SUAS OPÇÕES

À semelhança de Jeremias, muitos foram os homens e mulheres que optaram pelo povo de Deus. Vejamos alguns deles.

1. A opção de Abraão. Vivia o patriarca confortavelmente em Ur dos Caldeus, quando Deus o chamou a peregrinar até à terra de Canaã, onde dele faria o Senhor uma grande nação. E diz a Bíblia que Abraão saiu, em obediência à Palavra do Senhor, sem saber para onde ia (Gn 12.1-3). Ao fazer a sua opção, Abraão não era nem israelita nem judeu; não passava de um gentio que, pela fé, aceitara plenamente a vontade divina (Dt 26.5).

2. A opção de José. O jovem governante do Egito bem poderia ter ignorado a penúria de seus irmãos, e havê-los castigado como eles o mereciam. Mas o que fez José? Optou por socorrê-los na angústia, pois para isto fora guindado a um cargo tão elevado (Gn 45.3-8).

3. A opção de Moisés. Moisés abriu mão de toda a luxúria do Egito, pois não ignorava a missão que lhe confiara o Senhor (Hb 11.23-26).

4. A opção de Ester. Ester também poderia haver optado por ficar no palácio de Assuero, desfrutando de todas as benesses e cortesanias, enquanto seu povo era trucidado pelo malvado Hamã. Mesmo com o risco de perder a vida, enfrentou ela o perigo. E, assim, com oração e jejum salvou os judeus de morte certa (Et 4.14-16).

5. A opção de Jesus. Que incomparável exemplo nos oferece o Senhor Jesus! Embora igual a Deus, renunciou a glória que sempre desfrutara junto ao Pai, a fim de morrer por nós pecadores. Este é o exemplo que devemos seguir. Esvaziou-se de sua glória para que viéssemos a compartilhar de todos os bens que nos preparou o bondoso Deus (Fp 2.5-11).

SINOPSE DO TÓPICO (III)

Muitos personagens bíblicos optaram por sacrificar suas próprias vontades, conforto e até mesmo a vida em prol do povo de Deus.

CONCLUSÃO

Já fez sua opção pelo povo de Deus? Ou ainda está a divertir-se com os privilégios oferecidos por este mundo? Quantos obreiros que, ao invés de levar adiante o ministério que lhes confiou o Senhor Jesus, não estão a trocar a glória de Deus por aquilo que não é de nenhum valor! E quantos jovens que, desprezando o chamamento ministerial de Deus, não estão a optar pelo efêmero e passageiro mundo (1 Jo 2.17).

Jeremias optou por sofrer com o povo de Deus, levando alento àquela gente que já não tinha qualquer esperança. Qual a sua opção?

VOCABULÁRIO

Benesses: Lucro gratuito.
Cercanias: Vizinhança, arredores.
Cortesanias: Modos de cortesão.
Desvalidos: Desprotegido, desamparado.
Guindado: Empolado, afetado, enfático.
Insurreição: Rebelião, revolta.
Letargia: Estado de insensibilidade, apatia, sono profundo.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

Bíblia de Estudo Pentecostal. RJ: CPAD, 1995.

EXERCÍCIOS

1. Que opção foi oferecida a Jeremias?

R. Ficar na Babilônia onde haveria de ser bem tratado.

2. Que decisão tomou o profeta?

R. Ele optou por ficar com o restante do povo de Deus.

3. Cite alguns exemplos de opções pelo povo de Deus nas Sagradas Escrituras?

R. Moisés, José.

4. Qual o maior exemplo de renúncia?

R. Jesus Cristo.

5. Como você demonstra a sua opção pelo povo de Deus?

R. Resposta pessoal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *