1º Trimestre de 2008

 

Data: 30 de Março de 2008

TEXTO ÁUREO

“A qual, a seu tempo, mostrará o bem-aventurado e único poderoso Senhor, Rei dos reis e Senhor dos senhores” (1 Tm 6.15).

VERDADE PRÁTICA

Jesus está acima de todos os reis e de todos os senhores da Terra, pois Ele é soberano e absoluto.

LEITURA DIÁRIA

Segunda – Gn 49.10

A realeza do Messias nas primeiras profecias da Bíblia

Terça – Jr 23.5,6

Os profetas vaticinam o reinado justo do Messias

Quarta – Zc 9.9

A profecia da vinda de um rei justo e salvador

Quinta – Lc 19.35-38

Jesus foi aclamado Rei pelo povo

Sexta – Jo 19.19-22

Jesus Nazareno, Rei dos Judeus

Sábado – Lc 1.31-33

O seu reino nunca terá fim

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Apocalipse 19.11-19.

11 – E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça.

12 – E os seus olhos eram como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito que ninguém sabia, senão ele mesmo.

13 – E estava vestido de uma veste salpicada de sangue, e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus.

14 – E seguiam-no os exércitos que há no céu em cavalos brancos e vestidos de linho fino, branco e puro.

15 – E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-poderoso.

16 – E na veste e na sua coxa tem escrito este nome: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES.

17 – E vi um anjo que estava no sol, e clamou com grande voz, dizendo a todas as aves que voavam pelo meio do céu: Vinde e ajuntai-vos à ceia do grande Deus,

18 – para que comais a carne dos reis, e a carne dos tribunos, e a carne dos fortes, e a carne dos cavalos e dos que sobre eles se assentam, e a carne de todos os homens, livres e servos, pequenos e grandes.

19 – E vi a besta, e os reis da terra, e os seus exércitos reunidos, para fazerem guerra àquele que estava assentado sobre o cavalo e ao seu exército.

INTERAÇÃO

Caro professor, o texto-base desta lição narra o evento mais aguardado por todos os fiéis de todos os tempos. Trata-se da Segunda Vinda de Cristo à terra, como Rei dos reis e Senhor dos senhores. Ele virá do céu como o Messias vencedor para estabelecer a justiça e a verdade, julgar as nações e aniquilar o mal. Introduza a lição com essas preciosas verdades.

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

Descrever o caráter do reino messiânico.
Estabelecer um paralelo entre os reinos desse mundo e o de Cristo.
Explicar porque Jesus é chamado de Rei dos reis e Senhor dos senhores.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Peça aos seus alunos para lerem os textos correspondentes às profecias escatológicas abaixo. A seguir, pergunte se elas já se cumpriram e, mediante a resposta negativa, também pergunte quando se cumprirão. Todos deverão concluir que essas profecias somente se cumprirão no futuro reinado literal de Cristo.

1. As profecias falam de um tempo em que Jesus governará a Terra (Lc 1.32,33; Zc 14.9; Ml 1.11; Dn 2.44,45; 7.12-14; Ez 34.24; Is 2.2,4,9; 1 Co 15.25).

2. As profecias falam de um tempo de glória e grandeza para Israel (Is 60 1,22; 62.4,8,12; At 1.7,15,16; Am 9.11-15).

3. As profecias falam de um tempo em que Jerusalém será a capital do mundo inteiro (Mq 4.2; Sf 3.13,20; Is 2.3,5; Is 60.1,3; 66.20; Zc 14.16).

4. As profecias falam de um reinado da Igreja junto com Jesus (Ap 1.6; 5.10; 11.15).

COMENTÁRIO

introdução

Palavra Chave

Rei dos reis: Título messiânico que descreve o Senhor Jesus como Rei absoluto.

Ao longo desse trimestre, estudamos a identidade, os ensinamentos, as obras, os ofícios e vários outros aspectos da vida de Jesus. Nesta última lição, nosso estudo enfocará o Mestre nos derradeiros momentos da história da humanidade, quando Ele colocará seus inimigos debaixo de seus pés na Vitória Final como Rei dos reis e Senhor dos senhores.

I. OS DÉSPOTAS DESSE MUNDO

Todos os Impérios tiveram seu período de glória, mas entraram em declínio e acabaram por desaparecer do cenário mundial. Dentre eles podemos destacar o Egito, Assíria, Babilônia, Pérsia e Média, Macedônia e Roma (Ap 17.10). Em todos, havia reis constituídos sobre províncias de vastos territórios. Nabucodonosor foi chamado de “rei de reis” (Dn 2.37), pois dominava sobre muitos reinos. Assim também era chamado Alexandre, o Grande, e tantos outros que poderiam ser mencionados. Eles vieram e se foram, entretanto, o reinado de Cristo é o único que permanece para sempre (Dn 7.14): “E o seu Reino não terá fim” (Lc 1.33).

SINOPSE DO TÓPICO (I)

Os reinos desse mundo vieram e se foram, mas, o reinado de Cristo permanece para sempre.

II. CARÁTER DO REINO DO MESSIAS

1. “Fiel e Verdadeiro” (v.11). Jesus é chamado de Fiel e Verdadeiro, pois “julga e peleja com justiça” (v.11). É a hora de estabelecer a verdade e a justiça esperadas pelo povo de Deus desde a antiguidade. Assim, o Senhor cumprirá sua promessa do rei que reinará “e praticará o juízo e a justiça na terra” (Jr 23.5), e “julgará o mundo com retidão” (Sl 96.13). No v.13 Jesus é apresentado como a “Palavra de Deus”, o Logos Divino que estudamos na primeira lição (Jo 1.1,14).

2. Os diademas (v.12). Os “muitos diademas” são coroas reais que demonstram tratar-se de um rei ímpar em toda a história da humanidade. Pilatos escreveu um título, e o pôs em cima da cruz em três idiomas: hebraico, grego e latim, que dizia “Jesus Nazareno, rei dos Judeus” (Jo 19.2,19,20). Era um cenário armado pelas autoridades religiosas sob a autoridade de Roma, para um espetáculo de escárnio e zombaria. Foi sugerido ao governador, inclusive, mudar a frase: “Não escrevas, Rei dos judeus, mas que ele disse: Sou Rei dos judeus. Respondeu Pilatos: O que escrevi, escrevi” (Jo 19.21,22). Eles não sabiam que, mesmo com aquela zombaria, estavam anunciando uma verdade proclamada hoje em todos os quadrantes da Terra. Eles crucificaram não apenas o Rei dos judeus, mas o Rei dos reis e Senhor dos senhores.

3. A “veste salpicada de sangue” (v.13). As profecias messiânicas assinaladas no Antigo Testamento apontavam para a vinda de Jesus em duas etapas: a primeira para realizar a obra da redenção, e a segunda, para restaurar todas as coisas, e vencer os seus inimigos, razão pela qual as suas vestes foram vistas salpicadas de sangue. O Mestre preenchera, como ninguém, todos os requisitos de profeta, sacerdote e rei.

SINOPSE DO TÓPICO (II)

O Reino do Messias estabelecerá a verdade e a justiça esperadas pelo povo de Deus desde a Antiguidade.

III. A VITÓRIA FINAL

1. A redenção. Na primeira etapa de sua vinda, Jesus fora rejeitado por sua geração e padecera nas mãos dos pecadores, a fim de realizar a grande e sublime obra da redenção: “como raiz de uma terra seca; não tinha parecer nem formosura; e, olhando nós para ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos” (Is 53.2; Lc 24.46). Mas após ressuscitar, o Amado das nações anunciou com veemência: “É-me dado todo o poder no céu e na terra” (Mt 28.18).

Assim, Jesus cumpriu cabalmente sua missão: “Está consumado” (Jo 19.30). Hoje, seu poder é usado para a expansão do reino de Deus com a pregação do Evangelho, pois “convém que o céu o contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio” (At 3.21).

2. “Reis dos reis” (v.16). Jesus não é meramente “rei de reis”, mas o Rei dos reis. Isso significa que Ele é superior aos reis de reis; está sobre as hostes celestes: “acima de todo principado, e poder, e potestade, e domínio, e de todo nome que se nomeia, não só neste século, mas também no vindouro” (Ef 1.21). Na segunda parte de sua vinda, Jesus virá em glória para restaurar o trono de Davi (Am 9.11) e estabelecer a paz universal (Is 2.4; 9.7; 11.10). Porém, esse domínio será exercido pela força, pois “convém que reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés” (1 Co 15.25). O texto da Leitura Bíblica em Classe descreve com clareza o cenário da Vitória Final de Nosso Senhor Jesus Cristo.

3. “Senhor dos senhores” (v.16). O poder de qualquer rei ou líder é sempre limitado. O poder de César, por exemplo, estava de certa forma sujeito ao senado. Era dessa instituição, que representava os cidadãos romanos, que procedia a força do imperador. Contudo, o senhorio de Cristo é ilimitado. Ele não é apenas o Rei dos reis, mas também o Senhor dos senhores! Seu poder vai além das instituições militares e políticas desse mundo. Está acima de todas as hostes celestes.

SINOPSE DO TÓPICO (III)

Na segunda parte da sua vinda, Cristo virá em glória para restaurar o trono de Davi e estabelecer a paz universal.

CONCLUSÃO

A presente lição revela o Senhor Jesus Cristo no epílogo da história da humanidade, vencendo a todos os inimigos e manifestando o seu poder e a sua glória como o Rei dos reis e Senhor dos senhores. Diante dele todos os joelhos hão de dobrar-se, e toda a língua há de confessar que “Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai” (Fp 2.9-11).

VOCABULÁRIO

Cabal: completo, pleno, inteiro.
Déspota: Senhor absoluto e arbitrário; tirano, opressor.
Epílogo: Conclusão, fim; final.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

SILVA, S. P. da. Apocalipse versículo por versículo. RJ: CPAD, 1997.

EXERCÍCIOS

1. Cite três impérios antigos que desapareceram da história.

R. Egito, Assíria, Babilônia.

2. Qual reinado permanecerá para sempre?

R. O reinado de Cristo.

3. Descreva duas características do caráter do Messias.

R. Fiel e Verdadeiro; a Palavra de Deus.

4. Explique o significado dos diademas no v.12.

R. São coroas reais que demonstram tratar-se de um rei ímpar em toda a história da humanidade.

5. Explique a diferença entre “rei de reis” e “Rei dos reis”.

R. “Reis de reis” refere-se aos reis que possuíam autoridade sobre outros reinos; mas “Rei dos reis” que está acima e domina todos os reinos e reis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *