2º Trimestre de 2010

 

Data: 11 de Abril de 2010

TEXTO ÁUREO

“Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas” (Jr 2.13).

VERDADE PRÁTICA

Não podemos compactuar com a apostasia. Ela tem de ser erradicada de entre o povo de Deus, para que não venhamos a perecer em nossos pecados.

LEITURA DIÁRIA

Segunda – Jr 2.7

Israel contaminou a Terra da Promessa

Terça – Jr 2.8

Os sacerdotes ignoraram a Deus

Quarta – Jr 2.11

O povo desprezou a glória divina

Quinta – Jr 2.13

O povo cavou cisternas rotas

Sexta – Jr 2.17

A nação deixou o Senhor

Sábado – Jr 2

A presunção espiritual de Israel

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Jeremias 2.1-7,12,13.

1 – E veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:

2 – Vai e clama aos ouvidos de Jerusalém, dizendo: Assim diz o SENHOR: Lembro-me de ti, da beneficência da tua mocidade e do amor dos teus desposórios, quando andavas após mim no deserto, numa terra que se não semeava.

3 – Então, Israel era santidade para o SENHOR e era as primícias da sua novidade; todos os que o devoravam eram tidos por culpados; o mal vinha sobre eles, diz o SENHOR.

4 – Ouvi a palavra do SENHOR, ó casa de Jacó e todas as famílias da casa de Israel.

5 – Assim diz o SENHOR: Que injustiça acharam vossos pais em mim, para se afastarem de mim, indo após a vaidade e tornando-se levianos?

6 – E não disseram: Onde está o SENHOR, que nos fez subir da terra do Egito? Que nos guiou através do deserto, por uma terra de ermos e de covas, por uma terra de sequidão e sombra de morte, por uma terra em que ninguém transitava, e na qual não morava homem algum.

7 – E eu vos introduzi numa terra fértil, para comerdes o seu fruto e o seu bem; mas, quando nela entrastes, contaminastes a minha terra e da minha herança fizestes uma abominação.

12 – Espantai-vos disto, ó céus, e horrorizai-vos! Ficai verdadeiramente desolados, diz o SENHOR.

13 – Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas.

INTERAÇÃO

Prezado professor, dê ênfase ao fato de que os israelitas estavam vivendo um período de grande apostasia. Jeremias chamou a atenção do seu povo para os pecados que vinham cometendo. Dia após dia, com muita coragem e ousadia, ele confrontava os israelitas com as consequências de seus pecados, a fim de que se arrependessem e voltassem para Deus, no entanto, o povo não escutava a exortação do profeta (Jr 25.3). Deus amava seu povo! Ele precisava discipliná-lo. Só havia uma saída capaz de fazer com que Judá escapasse do juízo iminente: o arrependimento sincero. Todavia, os israelitas não aceitaram a correção e continuaram pecando de modo deliberado contra Deus.

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

Explicar o que é apostasia.
Compreender em que consistia a apostasia de Israel.
Conscientizar-se de que não podemos compactuar com a apostasia, para que não venhamos a perecer.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor, reproduza a tabela abaixo no quadro-de-giz. Ela será útil para mostrar aos alunos, de modo resumido, o ambiente da época, a mensagem principal de Jeremias e sua importância. Explique à classe que Jeremias foi enviado como profeta para repreender Judá por sua rebelião. O povo de Judá estava adorando outros deuses, embora tivessem sido instruídos pelo Senhor a respeito desse terrível pecado (Êx 20.3-6). Deus abomina a idolatria! Precisamos ter cuidado! Na atualidade, muitos “ídolos” tentam roubar nossa atenção do único e verdadeiro Deus. Diga aos alunos que precisamos estar atentos!

A MENSAGEM DE JEREMIAS

Ambiente da época

• A sociedade estava se deteriorando econômica, política e espiritualmente.

• As guerras dominavam o cenário mundial.

• A Palavra de Deus era considerada ofensiva.

Mensagem principal

• O arrependimento adiaria o iminente juízo de Judá executado pelas “mãos” da Babilônia.

Importância da mensagem

• O arrependimento é uma das maiores necessidades em nosso mundo imoral.

• As promessas de Deus para aqueles que são fiéis brilham vigorosamente, trazendo esperança para o amanhã e forças para hoje.

COMENTÁRIO

introdução

Palavra Chave

Apostasia: Do gr. apostásis, afastamento, abandono premeditado e consciente da fé cristã.

Não obstante as reprimendas e protestos de Jeremias, os judeus continuavam a viver como se Deus não existisse. Escarneciam eles do Senhor, alegando que Ele não faz bem, nem mal. Do rei ao mais humilde dos súditos, achavam-se todos indiferentes ao Eterno e à sua Palavra. Em consequência de sua apostasia, seriam eles exilados de sua terra e passariam a viver insuportáveis provações. A advertência do profeta era não somente clara, mas explícita. Os judeus, porém, teimavam em seus pecados.

Será que não estamos incorrendo no mesmo erro?

Estamos nós vivendo como se Deus não existisse? Não terá chegado o momento de buscarmos um avivamento real e abrangente? Um avivamento que nos constranja a voltar à manjedoura, ao Calvário e ao cenáculo?

Neste domingo, veremos como o profeta repreendeu a apostasia que, irradiando-se de Jerusalém, contaminou a todos os filhos de Israel que viviam em Judá.

I. O QUE É A APOSTASIA

1. Definição. O termo apostasia é proveniente do vocábulo grego apostásis, que significa afastamento. É o abandono consciente e premeditado da fé que nos foi revelada por intermédio de Nosso Senhor Jesus Cristo (1 Tm 4.1). É o desvio que conduz à morte espiritual.

2. A apostasia de Israel. Constituiu-se esta, de um lado, no abandono do Único e Verdadeiro Deus, conforme revelado na Lei e nos Escritos Sagrados; e, do outro, no apego aos ídolos e aos costumes dos povos vizinhos.

SINOPSE DO TÓPICO (I)

Israel abandonou o Único e Verdadeiro Deus, para seguir os ídolos e os costumes dos povos ímpios vizinhos.

II. UM BRADO CONTRA A APOSTASIA

Deus convocou Jeremias a fim de que bradasse contra a rebeldia da casa de Judá. Era a sua missão exortar o rei à obediência; conclamar os sacerdotes à santificação; desestimular os falsos profetas e alertar o povo quanto à desgraça que se avizinhava de suas fronteiras. A ordem do Senhor era mais do que explícita: “Vai e clama aos ouvidos de Jerusalém, dizendo: Assim diz o Senhor” (Jr 2.1,2). O profeta Jeremias haveria de:

1. Falar em nome do Senhor. Falaria ele em nome do Único e Verdadeiro Deus. Todo o Israel deveria reconhecer que Jeremias era, de fato, um autêntico profeta de Deus e não um mero crítico social. Como temos pregado a Palavra de Deus? Em nosso nome? Ou no nome de Cristo Jesus? À semelhança de Paulo, estejamos preparados a fim de expor com ousadia e integridade todo o conselho de Deus (At 20.7). Somente assim, teremos condições de erradicar a apostasia que ameaça a pureza da Igreja.

2. Ser autêntico e não politicamente correto. Este é o mal que atinge muitos pregadores: a síndrome do politicamente correto. Sacrificam a genuinidade do Evangelho no altar de interesses efêmeros e abomináveis. Jeremias, porém, fora chamado para ser autêntico. Tendo como único compromisso a proclamação da Palavra de Deus, ousou exortar o rei, os nobres e o povo.

Assumamos nossa posição como homens de Deus. Preguemos corajosamente a sua Palavra, ainda que isto venha a custar-nos a própria vida.

3. Anunciar ao povo a tragédia que os rondava. Do rei ao mais insignificante dos súditos, achavam todos que, apesar de seus muitos e grosseiros pecados, jamais seriam castigados pelo Senhor. Não eram israelitas? Não lhes pertenciam os pactos? Não estava o Santo Templo em sua terra? Por que seriam eles castigados por Deus? Jeremias, contudo, adverte-os: tal impunidade era ilusória. Se não se arrependessem, muito sofreriam sob o látego babilônico.

Temos falado a verdade à nossa geração? Ou a vimos iludindo com falácias e ilusões? Se não lhe falarmos de conformidade com a Palavra de Deus jamais veremos a alva (Is 8.20).

SINOPSE DO TÓPICO (II)

Jeremias tinha como missão exortar o povo à obediência e alertá-los quanto à desgraça que se avizinhava de suas fronteiras: os exércitos babilônios.

III. EM QUE CONSISTIA A APOSTASIA DE ISRAEL

Os filhos de Judá rebelaram-se contra o Senhor, esqueceram-se de todas as suas benignidades e voltaram-se para os ídolos. Na linguagem profética, equivalia isso a um divórcio entre a virgem filha de Sião e Jeová. Vejamos, pois, em que consistia a apostasia dos israelitas.

1. O afastamento de Jeová. De posse da Terra das Promissões, foram os filhos de Israel afastando-se de Deus e apegando-se aos ídolos das nações vizinhas. Diante da apostasia de seu povo, pergunta-lhes o Senhor: “Que injustiça acharam vossos pais em mim, para se afastarem de mim, indo após a vaidade e tornando-se levianos?” (Jr 2.5).

Que indagação pesarosa! Se Israel lhe era a possessão peculiar, e se do Senhor recebera tantas bênçãos, por que se desviou de seu Redentor? E, você, querido irmão? Por que deixou os caminhos do Senhor indo atrás de coisas vãs? Que mal fez-lhe Ele? Volte agora mesmo ao primeiro amor.

2. O esquecimento de Jeová. Os filhos de Israel não mais perguntavam por Jeová. Era como se o Todo-Poderoso, que os tirara com mão forte do Egito, não mais lhes representasse coisa alguma. Eles imaginavam que poderiam viver sem o seu Redentor (Jr 2.8). Será que o mesmo não acontece conosco? É hora de nos lembrarmos do primeiro amor! Se o crente não mais se importa com Deus, como poderá subsistir neste mundo de lutas e provações?

3. O desprezo pelas coisas divinas. Estas palavras não parecem ter sido escritas para a cristandade de nossos dias: “Houve alguma nação que trocasse os seus deuses, posto não serem deuses? Todavia, o meu povo trocou a sua glória pelo que é de nenhum proveito?” (Jr 2.11).

Se os filhos de Israel trocaram a glória de Deus pelos ídolos vãos, quantos de nós não estamos a trocar a simplicidade do Evangelho por teologias e modismos abomináveis que só trazem confusão e miséria espiritual. Urge voltarmos às origens do avivamento autenticamente pentecostal.

SINOPSE DO TÓPICO (III)

Os filhos de Israel desprezavam ao Senhor e as suas leis.

CONCLUSÃO

Os filhos de Judá caíram na apostasia. Desviaram-se do Senhor, correndo atrás de coisas efêmeras. A Palavra de Deus alerta-nos: “Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios” (1 Tm 4.1).

Zelemos pela sã doutrina. E que nada nos desvie de Nosso Senhor Jesus Cristo. Em breve virá Ele buscar a sua Igreja. Se não estivermos preparados, como subsistiremos nesse grande dia?

VOCABULÁRIO

Látego: Açoite, castigo.
Efêmero: Passageiro, de pouca duração.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

HENRY, M. Comentário Bíblico. 1.ed. RJ: CPAD, 2002.
RICHARDS, L. O. Guia do leitor da Bíblia. 1.ed. RJ: CPAD, 2005.

EXERCÍCIOS

1. O que é apostasia?

R. Teologicamente falando, é o afastamento ou abandono premeditado da fé cristã.

2. Em que consistia a apostasia de Israel?

R. O afastamento de Jeová, o esquecimento de Jeová e o desprezo pelas coisas divinas.

3. O que disse Paulo, em sua primeira epístola a Timóteo, acerca destes últimos dias?

R. “Que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios” (1 Tm 4.1).

4. De que forma podemos combater a apostasia?

R. Zelando pela sã doutrina.

5. Você tem combatido a apostasia em sua vida pessoal?

R. Resposta pessoal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *