1° TRIMESTRE 2015

Data: 1º de Março de 2015

TEXTO DO DIA

“Esta é uma palavra fiel e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal” (1Tm 1.15).

SÍNTESE

A transformação que Deus opera no ser humano, por intermédio da salvação e da atuação do Espírito Santo, deve ser visível a todos.

AGENDA DE LEITURA

SEGUNDA

Uma nova criatura (2Co 5.17)

TERÇA

Nascido do Espírito (Jo 3.6)

QUARTA

Novo nascimento (Jo 3.7)

QUINTA

O poder transformador de Jesus (Jo 2.1-10)

SEXTA

A transformação de um publicano (Lc 19.8,9)

SÁBADO

Transformação interior (Mt 23.28)

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

CONSCIENTIZAR-SE da necessidade de uma transformação;
RECONHECER o poder transformador de Jesus;
IDENTIFICAR a ação do Espírito Santo na transformação do homem.

INTERAÇÃO

Você já foi transformado por Jesus Cristo? Ser um crente é ser uma nova criatura, gerada pelo Espírito Santo (Jo 3.3). Infelizmente, muitos estão nas igrejas, nas classes de Escola Dominical, mas não nasceram de novo. O primeiro milagre de Jesus, transformar a água em vinho, apontava para o seu poder transformador. Não podemos transformar a nós mesmos; somente Jesus, mediante o Espírito Santo pode nos dar uma nova vida e arrancar de nós tudo que pertence à velha natureza (2Co 5.17).

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor, para introduzir a lição faça a seguinte indagação: “Quem já experimentou do poder transformador de Jesus?”. Explique que somente Jesus Cristo tem poder para transformar o homem. Para o Filho de Deus não existem pessoas difíceis. Ele tem poder e pode transformar o mais perverso e o mais vil dos homens. Em seguida, peça que leiam 2 Coríntios 5.17. Depois reproduza no quadro o esquema abaixo e veja com os alunos algumas pessoas que foram transformadas pelo poder de Deus. Explique que essas pessoas não somente tiveram seus nomes trocados, mas passaram por um processo de transformação divina.

TEXTO BÍBLICO

Atos 9.1-5; 1 Timóteo 1.12-14

Atos 9

1 — E Saulo, respirando ainda ameaças e mortes contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote

2 — e pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, se encontrasse alguns daquela seita, quer homens, quer mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém.

3 — E, indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu.

4 — E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?

5 — E ele disse: Quem és, Senhor? E disse o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões.

1 Timóteo 1

12 — E dou graças ao que me tem confortado, a Cristo Jesus, Senhor nosso, porque me teve por fiel, pondo-me no ministério,

13 — a mim, que, dantes, fui blasfemo, e perseguidor, e opressor; mas alcancei misericórdia, porque o fiz ignorantemente, na incredulidade.

14 — E a graça de nosso Senhor superabundou com a fé e o amor que há em Jesus Cristo.

COMENTÁRIO DA LIÇÃO

INTRODUÇÃO

Uma das maiores virtudes do Evangelho é a transformação de pessoas. Essa transformação ocorre de dentro para fora, e abrange o caráter e os hábitos da pessoa que teve um encontro com Cristo. Isso ocorre por meio do novo nascimento, quando uma pessoa aceita a Jesus como seu Salvador e Senhor, recebe o perdão dos pecados e passa a ter o Espírito Santo morando dentro de si, guiando seus passos e fazendo-o viver como uma nova pessoa.

I. A NECESSIDADE DE UMA TRANSFORMAÇÃO (Gn 1.26; Rm 3.23)

1. Por que precisamos de uma grande transformação? Por causa do pecado, a natureza humana tende a ser má e corrupta. É evidente que há traços de bondade e misericórdia nos homens, e Jesus reconheceu isso quando disse: “Pois, se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” (Lc 11.13). Entretanto, é preciso entender que “[…] a imaginação do coração do homem é má desde a sua meninice” (Gn 8.21), e que uma natureza má e corrupta desde a infância não pode agradar a Deus nem ter comunhão com Ele.

2. O homem tende ao pecado. A Bíblia nos mostra que a natureza humana é dominada pelo pecado, pecado esse que foi transmitido por Adão a toda a raça humana. Paulo descreve esse fato quando diz: “Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram” (Rm 5.12). Por causa dessa tendência, todas as pessoas buscam fazer o que é errado, e buscam satisfação naquilo que pode desagradar a Deus.

3. O homem natural não pode agradar a Deus. Não se pode esquecer de que “os que estão na carne não podem agradar a Deus” (Rm 8.8). Isso significa que, de forma natural, sem estarmos reconciliados com Deus por meio da salvação concedida por Jesus, não podemos deixar Deus contente conosco, pois somos dominados por nossos desejos pecaminosos, e esse desejo vai contra a santidade de Deus. Isso não significa que não podemos fazer coisas boas, mas as boas obras que realizamos são infrutíferas para a nossa salvação. Apenas por meio da fé em Jesus é que podemos agradar a Deus: “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam” (Hb 11.6 — ARA).

Pense!

Temos uma natureza que tende ao pecado. Ainda que desejemos fazer coisas boas, e podemos fazê-las, essas ações são insuficientes para a nossa salvação.

Ponto Importante

Quando somos reconciliados com Deus mediante a fé em Jesus, o pecado, a velha natureza, já não tem mais domínio sobre nós.

II. O PODER TRANSFORMADOR DE JESUS (Lc 19.1-10)

1. A esperança de salvação em Jesus. Não adianta falarmos da doença do pecado sem falar da cura proposta por Deus. Primeiramente, Ele trata a todos os pecadores da mesma forma: “Deus encerrou a todos debaixo da desobediência, para com todos usar de misericórdia” (Rm 11.32). A boa notícia é que Deus, em sua misericórdia, mostra uma única forma de salvação para todas as pessoas, a saber, o arrependimento dos pecados e a fé no Senhor Jesus Cristo. O pecado por um homem atingiu todos os outros, mas o sacrifício de um único homem resolveu essa herança ruim: “[…] pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim, pela obediência de um, muitos serão feitos justos” (Rm 5.19). Portanto, Jesus é o caminho de Deus para a salvação de nossos pecados e a transformação exigida para que tenhamos comunhão com Deus.

2. O endemoninhado gadareno. Marcos narra o caso de um homem possuído por demônios que foi transformado, espiritual e fisicamente, quando teve um encontro com Jesus (Mc 5). Esse homem morava em sepulcros, não podia ser controlado por correntes, andava gritando e feria-se constantemente. Esse era um cenário lamentável, até que esse homem encontrou-se com Jesus e foi liberto pelo Senhor. Quando as pessoas foram ver o que acontecera, encontraram o homem em perfeito juízo, vestido e sentado aos pés de Jesus, e ficaram espantadas com o que Jesus fizera (Lc 8.35). Ao fim da narrativa, o homem, agora livre, pede o consentimento do Senhor para acompanhá-lo, ao que Jesus diz: “Vai para tua casa, para os teus, e anuncia-lhes quão grandes coisas o Senhor te fez, e como teve misericórdia de ti” (Mc 5.19). Um encontro com Jesus foi suficiente para transformar um homem possuído por demônios em um missionário de Jesus Cristo, pois aquele homem anunciou o que Jesus fez em Decápolis, uma região que tinha 10 cidades.

3. Saulo, o perseguidor de crentes. Outro exemplo de como Jesus transforma uma pessoa é o do apóstolo Paulo. Antes de ter um encontro com Jesus, ele era um fariseu dedicado à perseguição dos cristãos. Atos 9 conta que Saulo respirava ameaças e mortes contra os discípulos de Jesus. Ele mesmo se declarou um homem blasfemo e perseguidor antes de encontrar-se com o Senhor (1Tm 1.14), e aos gálatas disse: “Porque já ouvistes qual foi antigamente a minha conduta no judaísmo, como sobremaneira perseguia a igreja de Deus e a assolava” (Gl 1.13). Quando viajou para Damasco, teve um encontro com Jesus, e aprendeu que quando se persegue a Igreja do Senhor, na verdade se está perseguindo ao próprio Senhor. Saulo foi transformado, nasceu de novo e passou a ser o mais ativo missionário para os gentios conhecido no Novo Testamento.

Pense!

Um encontro com Jesus é suficiente para transformar a vida das pessoas mais improváveis e difíceis.

Ponto Importante

Para Deus não existem pessoas difíceis; Ele pode transformar a todos.

III. A ATUAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO NA TRANSFORMAÇÃO DO HOMEM (Jo 3.3; 2Co 5.17)

1. Ele nos santifica. O Espírito Santo passa a habitar a pessoa que nasceu de novo, e essa forma de relacionamento é importante, pois uma nova vida precisa ser orientada e motivada à santificação. Santificação e separação, ou seja, por meio da santificação ficamos separados das práticas do mundo para nos tomarmos cada vez mais próximos de Deus. Santificação não é isolamento do mundo, pois Deus nos quer santos aqui, mostrando o poder dEle em nossa vida. Pessoas santas são como o sal: basta um pouco para trazer sabor no meio da comida insípida. Santificação é abster-se de fazer aquilo que desagrada a Deus por amor a Ele e sob o poder do Espírito Santo.

2. Ele nos orienta. Já vimos que o Espírito Santo é uma pessoa, que mora naqueles que receberam a Jesus como seu Salvador e que orienta os passos dos cidadãos do Reino de Deus. Essa orientação constante do Espírito Santo é de fundamental importância para as pessoas que passam pelo novo nascimento, pois conforme disse Jesus, essas pessoas nascem do Espírito. Nascer do Espírito é começar uma vida nova, com a influência constante do Espírito Santo em nossa vida, mortificando os desejos da carne e buscando na Palavra de Deus a forma correta de agradar a Deus. Nova vida, novos hábitos, novas prioridades e novo relacionamento, desta vez, com Deus.

3. Ele nos faz frutificar em toda boa obra. Deus deseja que possamos ser vistos pelo mundo como pessoas transformadas pelo evangelho. Essa “apresentação” pode ser vista na forma como vivemos o evangelho, ou seja, em nosso dia a dia. Mais que nossas palavras, as pessoas veem as nossas atitudes, e avaliam o que o Evangelho faz conosco e o que fazemos com o Evangelho. Por isso, é importante que sempre manifestemos o fruto do Espírito, relatado em Gálatas 5.22,23: “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei” (ARA). Lembre-se de que o fruto do Espírito não surge do nada, de um momento para o outro. Ele requer amadurecimento e constante dependência do Espírito Santo, pois só assim o fruto surgirá.

Pense!

0 Espírito Santo passa a morar na pessoa que aceitou Jesus, e faz com que essa pessoa seja santificada e produza o fruto do Espírito.

Ponto Importante

Nossas ações e palavras evidenciam se fomos realmente transformados pelos Senhor.

CONCLUSÃO

É inegável o poder transformador do Evangelho de Jesus Cristo. Essa transformação é concedida por Deus para que o ser humano se torne uma nova criatura e tenha um novo começo por meio da salvação e do novo nascimento. E o Espírito Santo de Deus atua em nossa vida, transformando-nos diariamente, porque Ele passa a habitar em nós, ajudando-nos em nossas lutas e nos mostrando a forma correta de agradar a Deus.

ESTANTE DO PROFESSOR

COLLEMAN, Robert E. Plano Mestre de Evangelismo Pessoal.
MENZIES, W. W.; HORTON, S. M. Doutrinas Bíblicas: Os Fundamentos da nossa Fé.

HORA DA REVISÃO

1. Por que o ser humano precisa de uma grande transformação?

Devido ao pecado, a natureza humana tende a ser má e corrupta.

2. Quem transmitiu o pecado a toda a raça humana?

Adão e Eva, ao desobedecerem a Deus.

3. As boas obras que realizamos são boas para a nossa salvação?

Não. As boas obras não produzem salvação.

4. O que é a santificação?

Santificação é separação, ou seja, por meio da santificação ficamos separados das práticas do mundo para nos tornarmos cada vez mais próximos de Deus.

5. Segundo a lição, o que é nascer do Espírito?

Nascer do Espírito é começar uma vida nova, com a influência constante do Espírito Santo em nossas vidas, mortificando os desejos da carne e buscando na Palavra de Deus a forma correta de agradar a Deus.

SUBSÍDIO

“NASCEMOS DE NOVO

O sentido literal de nascer de novo é nascer do alto. Refere-se ao ato de Deus de dar vida eterna a quem crê em Cristo (Tt 3.5).

A pessoa ingressa na família eterna do Senhor ao nascer de novo (1Pe 1.23). O nascimento espiritual estabelece a pessoa na família de Deus da mesma forma que o nascimento físico faz com que o bebê se torne membro de uma nova família.

Em João 3, Jesus disse que Nicodemos deveria nascer de novo. Nicodemos era fariseu (líder judeu), portanto, cria em sua descendência física de Abraão e na obediência à lei mosaica para entrar no céu. Os judeus acreditavam que tinham uma posição mais privilegiada diante de Deus por causa da descendência física de Abraão. Todavia, Jesus negou essa possibilidade. O fato é que os pais só poderiam transmitir aos filhos a natureza que eles mesmos possuem. Todos os pais humanos têm a natureza pecadora e a transmitem aos filhos. Todas as pessoas nasceram em pecado. E nada que seja pecaminoso pode entrar no Reino de Deus (Jo 3.5). A única forma de a pessoa entrar para a família eterna do Senhor é pelo novo nascimento espiritual, e foi isso que Jesus enfatizou para Nicodemos” (RHODES, Ron. O Cristianismo Segundo a Bíblia. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2007, pp.138-9).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *