Profeta    De Deus Ou Do Diabo?

 

A verdadeira profecia é a Palavra de Deus, a Bíblia    Sagrada. Sabemos que “toda Escritura é divinamente     inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para               corrigir, para instruir em justiça, a fim de que o homem de   Deus seja perfeito e perfeitamente preparado para toda    boa obra” (2 Tm 3.16-17). O que Deus nos revelou a     respeito do fim de todas as coisas é a porção ideal para o   nosso entendimento. É claro que todos desejamos saber     mais, conhecer mais, nos aprofundar mais nos mistérios      do Altíssimo. Mas o que não está revelado pertence a    Deus.

 

De quando em vez ressuscitam as Centúrias de   Nostradamus e divulgam suas profecias sobre os tempos   do fim. Quem foi esse homem? Por que suas premonições               continuam sendo lidas e analisadas por quase 500 anos?

 

SUA VIDA

 

Michel de Notredame (ou Nostredame), conhecido como   Nostradamus, nasceu em 14 de dezembro de 1503 em    Saint-Rémy (França), e faleceu em 2 de julho de 1566.               Além de haver exercido a Medicina, estudou Filosofia, Astronomia, Astrologia e Alquimia. Seu filho Michel de   Nostradamus também era astrólogo. Suas predições               foram publicadas em 1555 com o título Centúrias (quadras    em grupo de cem), escritas em linguagem metafórica, de     difícil interpretação. Atribui-se a ele haver predito a morte     de Henrique II, Rei da França de 1519 a 1559; há indícios  de que conhecia a lei da gravidade antes de Newton, e de  que sabia da existência dos planetas Urano e Netuno; teria ele descrito com antecedência de 400 anos os satélites de comunicação (“cães que ladravam no céu”) e  o surgimento dos automóveis (“carroças que andam sem    cavalos”).

 

Os admiradores de Nostradamus esperavam para julho ou   agosto uma grave convulsão no planeta: talvez um terremoto de proporções gigantescas; talvez uma terceira               guerra mundial com bombas atômicas. Alguma tragédia  espetacular deveria ter acontecido em razão da seguinte    profecia de Nostradamus:

 

“O ano de 1999, no sétimo mês. Do céu virá um um    grande rei do terror. Ressuscitará o o grande rei de    Angoulmois. Antes, depois, marte reinará por sorte”.

 

Ou, em linguagem mais popular:

 

“No ano de 1999 e sete meses, do céu virá o rei do terror. Ele fará viver o grande conquistador. Antes e depois da     guerra, reinará com felicidade”.

 

A verdade é que nada de novo aconteceu nem em julho   nem em agosto deste ano (1999). A Terra continuou     girando ao redor do Sol e em torno do seu eixo, e a lua               girando ao redor da Terra; não houve nenhuma convulsão   social; nenhum acontecimento catastrófico foi registrado. A única ocorrência forte, em agosto, foi o terremoto na  Turquia, em que milhares de vidas foram ceifadas. Mas  tremores de terra não chegam a ser mais uma novidade. Nostradamus falhou nas suas previsões. Vejamos o que     diz a Palavra sobre o assunto:

 

“Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de  homem algum, mas os homens santos de Deus falaram   inspirados pelo Espírito Santo”(2 Pe 1.21).

 

“Não deixem que no meio do povo haja adivinhos ou    pessoas que tiram sortes; não tolerem feiticeiros, nem   quem faz despachos, nem os que invocam os espíritos   dos mortos. O Deus Eterno disse também:Se um profeta   tiver o atrevimento de dar uma mensagem em meu nome, quando eu não tiver dito nada, ou se falar em nome de outros deuses, deverá ser morto. Mas vocês vão ficar   pensando assim: Como é que vamos saber que aquilo que   o profeta diz não é mensagem do Deus Eterno? Fiquem    sabendo que, se um profeta falar em nome de Deus, mas   se o que disser não acontecer, então o que disse não foi  mensagem de Deus.Esse profeta foi atrevido,e vocês não    precisam ter medo dele” (Dt 18.10,1120-22 – A Bíblia na   Linguagem de Hoje).V. também Jeremias 28.9.

 

NOSTRADAMUS NÃO FOI UM PROFETA DE DEUS, PELAS SEGUINTES   RAZÕES:

 

  • Falhou o seu vaticínio sobre um acontecimento catastrófico em julho deste no, ou no dia 11 de agosto como muitos sugeriram, em razão do eclipse solar. Ora, o modo simples, fácil e mais lógico para sabermos se a profecia tem origem divina, é verificar o seu cumprimento. As profecias que se não cumprem não são de Deus. São obras do engano. Nenhuma “nova” profecia deve ser aceita se contrária à Palavra de Deus. O padrão é a Palavra. A verdade é a Palavra.

 

  • O padrão da verdade deve ser sempre a Palavra de Deus. A verdade revelada nas Escrituras é o único caminho para conhecermos o futuro. O que passar disso não vem de Deus. Vem do maligno. As profecias bíblicas se cumprem porque os homens santos de Deus falaram sob inspiração do Espírito Santo.

 

  • A predição de Nostradamus fala de um “rei do terror”, que reinaria “com felicidade”, ou seja, seria um rei vitorioso. O mal sairia vitorioso da grande batalha. Esse monstro e grande governador tem tudo a ver com o Anticristo, que será esmagado – ele e seus comandados – na batalha do Armagedom. Neste ponto Nostradamus também mente porque atribui vitória ao “homem feroz de cara”.

 

  • Somente Deus sabe a hora, dia, mês e ano em que a Igreja será arrebatada (Mt 24.36, 44). Este será o passo inicial para os demais acontecimentos escatológicos. Retirada a Igreja da Terra, o campo ficará livre por um breve período para as atividades do monstro.

 

  • Nostradamus era estudioso da Astrologia, prática condenada por Deus: “Levantem-se agora os astrólogos, que contemplam os astros, os que nas luas novas prognosticam o que há de vir sobre ti [sobre Babilônia]. Certamente são como restolho; o fogo os queimará” (Is 47.13-14). “Os videntes se envergonharão, e os adivinhadores se confundirão” (Mq 3.7). Além disso Nostradamus era versado em Alquimia, prática que oscilava entre a ciência e misticismo.

 

  • Não nos deve surpreender o fato de Nostradamus haver citado Urano e Netuno em suas premonições, antes da descoberta desses planetas, em 1781 e 1846; nem de haver conhecido a lei da gravidade, antes do físico Isaac Newton. Lembram-se do que o Diabo afirmou através de uma musiquinha? Vejam:

 

“Eu nasci há dez mil anos atrás, e não tem nada neste mundo que eu não saiba demais”.

 

  • Satanás e seus demônios conhecem os fenômenos meteorológicos, as ondas eletromagnéticas, a lei gravitacional, a posição dos astros. Eles povoam os espaços siderais (Ef 3.10; 6.12).

 

  • As Centúrias de Nostradamus não foram escritas sob a inspiração do Espírito Santo. Suas atividades de adivinho, astrólogo e alquimista, eram incompatíveis com a divina missão de um profeta de Deus. Os profetas são homens “santos de Deus”. Deus não elevaria à condição de profeta um homem que procurava respostas nos astros. A Astrologia, associada ao Espiritismo e ao ocultismo, é prática condenada na Bíblia.

 

A mentira, o engano, o embuste, a trapaça pertencem ao   Diabo. Na qualidade do maior inimigo de Deus e dos  homens, ele tem prazer em apresentar uma versão do fim                do mundo diferente da que ensinam as Sagradas  Escrituras. A Bíblia tem uma palavra para Nostradamus:

 

“Vós pertenceis ao vosso pai, o Diabo, e quereis executar   o desejo dele. Ele foi homicida desde o princípio, e não se  firmou na verdade, pois não há verdade nele. Quando ele  profere mentira, fala do que lhe é próprio, pois é mentiroso               e pai da mentira” (Jo 8.44).

 

POR: Airton Evangelista da Costa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *