Em minha época de solteiro, eu freqüentava uma vigília na Zona Leste
da cidade de São Paulo. Numa das reuniões, certo irmão afirmou, diante de
todos: “O Espírito Santo me mostra um grande bife sobrevoando este local.
Há muitos carnudos nesta vigília”. Imediatamente, o dirigente da reunião
pôs-se em pé, pediu para o irmão assentar-se e lhe disse: “Deus me revelou
que o mais carnal aqui é você”.
Alguns pregadores, em nossos dias, apesar do título que possuem, não
pregam a Palavra de Deus. Sua especialidade é gerar movimentos e mexer
com as massas, apresentando “revelações” que dizem ter recebido do
Espírito Santo. Até lêem uma passagem bíblica, no início de suas
performances, mas depois o que se vê é um animador de auditórios e uma
platéia de marionetes, numa interação em que não há lugar para a Palavra e
os genuínos dons espirituais.
Há pouco tempo, eu estava em um púlpito, em uma grande igreja,
enquanto um pastor expunha a Palavra. Ao meu lado estava um desses
super-pregadores da atualidade. Vendo ele que os irmãos recebiam a
mensagem em silêncio, disse-me: “Ah, se fosse eu… Esse povão aí já estaria
dando uns glória”.
E, de fato, isso aconteceu. O dirigente do culto deu-lhe uma
oportunidade, e ele fez de tudo, exceto pregar a Palavra. E o pior é que o
“povão” gostou e deu “uns glória”…
Quem pronuncia palavras para animar o povo, afirmando que Deus
lhe revelou isso e aquilo, mentindo, a fim de tornar-se famoso, deve se
arrepender enquanto houver tempo (Ap 2.20-22). Afinal, o próprio Senhor
disse: “… o profeta que presumir soberbamente de falar alguma palavra em
meu nome, que eu lhe não tenho mandado falar, ou que falar em nome de
outros deuses, o tal profeta morrerá” (Dt 18.20). E alguns de fato estão
morrendo por causa disso, principalmente no plano espiritual (Ap 3.1).
O povo se deixa mesmo enganar porque é ingênuo, em sua maioria, e
se empolga com elogios e mensagens motivacionais.
Mas Deus continua dando um tempo para os super-pregadores
reconhecerem que estão errados. Que eles olhem com seriedade para a
Palavra de Deus e reconheçam que o objetivo do pregador não é animar o
povo, e sim expor a Palavra como ela é, ainda que não agrade a muitos dos
ouvintes (At 7.54-57).

 

fonte: Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar – Ciro Sanches Zibordi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *