Cantares 6:2: “O meu amado (JESUS) desceu ao seu jardim, aos canteiros de bálsamo, para pastorear nos jardins e para colher os lírios”.

 

Marcos 16:9: Havendo ele ressuscitado de manhã cedo no primeiro dia da semana, apareceu primeiro a Maria Madalena, da qual expelira sete demônios.

 




Maria Madalena havia sido uma mulher promíscua, que vivia nas casas de prostituição, nos bares. Era conhecida por andar embriagada pelas ruas e pelos vexames que fazia. Porém um dia ela havia se reconciliado com Deus e o espírito imundo que a possuía tinha saído. Quando Jesus a encontrou ela era uma mulher reincidente no pecado, ou seja, ela havia sido perdoada uma vez por Deus mas não suportara as pressões e voltou ao pecado novamente. Por esta razão Jesus teve que expulsar dela SETE demônios. LEIA: “Lucas 11:24-26: Quando o espírito imundo sai do homem, anda por lugares áridos, procurando repouso; e, não o achando, diz: Voltarei para minha casa, donde saí. E, tendo voltado, a encontra varrida e ornamentada. Então, vai e leva consigo outros sete espíritos, piores do que ele, e, entrando, habitam ali; e o último estado daquele homem se torna pior do que o primeiro”.

Como muitos, Maria Madalena não era uma mulher aceita pela maioria das pessoas, porque o seu passado era explícito e estampado à todos. Ela estava mudada, sim, mas ainda era muito recente as coisas que havia feito no passado. Como apagar tudo isso? Como lançar no mar do esquecimento? Como transformar uma vida de pecados, quedas, erros em uma vida de santidade? Ela procurou ao Senhor Jesus!! Só Ele poderia retirar aqueles sete espíritos imundos, porque Ele tinha os Sete Espíritos de Deus, descritos em Isaías 11:1-5 Do tronco de Jessé sairá um rebento, e das suas raízes, um renovo. Repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do SENHOR. Deleitar-se-á no temor do SENHOR; não julgará segundo a vista dos seus olhos, nem repreenderá segundo o ouvir dos seus ouvidos; mas julgará com justiça os pobres e decidirá com eqüidade a favor dos mansos da terra; ferirá a terra com a vara de sua boca e com o sopro dos seus lábios matará o perverso. A justiça será o cinto dos seus lombos, e a fidelidade, o cinto dos seus rins”.

Ela soube que Jesus estava na casa de um fariseu, chamado Simão. Maria Madalena precisava ser liberta novamente. Os homens não queriam mais orar por ela, porque haviam feito uma vez e ela voltara ao pecado. Somente Jesus poderia fazer isso agora. Ela estava possessa por sete demônios terríveis, que a obrigavam fazer coisas inacreditáveis. Mas, como falar com Jesus? O que dizer para ele? Ela sentia-se envergonhada… não haviam palavras para explicar sua súplica.

 

Lucas 7:37-50 E eis que uma mulher da cidade, pecadora, sabendo que ele estava à mesa na casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com ungüento; e, estando por detrás, aos seus pés, chorando, regava-os com suas lágrimas e os enxugava com os próprios cabelos; e beijava-lhe os pés e os ungia com o ungüento. Ao ver isto, o fariseu que o convidara disse consigo mesmo: Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, porque é pecadora. Dirigiu-se Jesus ao fariseu e lhe disse: Simão, uma coisa tenho a dizer-te. Ele respondeu: Dize-a, Mestre. Certo credor tinha dois devedores: um lhe devia quinhentos denários, e o outro, cinqüenta. Não tendo nenhum dos dois com que pagar, perdoou-lhes a ambos. Qual deles, portanto, o amará mais? Respondeu-lhe Simão: Suponho que aquele a quem mais perdoou. Replicou-lhe:

 

Julgaste bem. E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês esta mulher? Entrei em tua casa, e não me deste água para os pés; esta, porém, regou os meus pés com lágrimas e os enxugou com os seus cabelos. Não me deste ósculo; ela, entretanto, desde que entrei não cessa de me beijar os pés. Não me ungiste a cabeça com óleo, mas esta, com bálsamo, ungiu os meus pés. Por isso, te digo: perdoados lhe são os seus muitos pecados, porque ela muito amou; mas aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama. Então, disse à mulher: Perdoados são os teus pecados. Os que estavam com ele à mesa começaram a dizer entre si: Quem é este que até perdoa pecados? Mas Jesus disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz.

 

Jesus havia morrido. Todos os discípulos estavam pasmos pelos acontecimentos. Pela lei dos judeus, não se podia preparar o corpo de um falecido no sábado, portanto eles tiveram que esperar até o raiar do dia de domingo, o primeiro da semana. Passado o sábado, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago e Salomé compraram aromas para ungir o corpo de Jesus, e foram ao sepulcro. Pensavam em uma maneira em como fariam para remover a pedra, porém viram que ela já estava removida.

Ao entrarem no sepulcro, viram um homem vestido com um manto branco e ficaram muito espantadas. Ele lhes disse: “Não vos assusteis! Buscai a Jesus, o Nazareno, que foi crucificado. Ele ressuscitou! Não está aqui. Ide e dizei aos seus discípulos que ele vai adiante de vós para a Galiléia. Lá o vereis como ele vos disse”.

As mulheres correram para o lugar onde estavam os discípulos reunidos, para lhes dar a notícia, porém Maria Madalena permaneceu do lado de fora do sepulcro, chorando emocionada. Pedro e João chegaram correndo, mas nada viram, a não ser as vestes do Senhor e também foram embora. Maria Madalena, prostrada ali, na entrada do sepulcro, chorava copiosamente pelo Senhor. Em dado momento, ela sentiu que havia uma movimentação dentro da tumba e pensando ser mais algum discípulo, inclinou o rosto para dentro, a fim de olhar melhor.




 

Viu dois varões, vestidos de branco, sentados onde estivera Jesus, um à cabeceira e outro aos pés. Os anjos perguntaram: “Mulher, porque choras?”. Ela respondeu: “Levaram o meu Senhor e eu não sei onde o puseram”. Tendo dito isso, percebeu que alguém chegava pelo lado de fora, que lhe perguntou: “Mulher, porque choras? A quem procuras?”. Ela, pensando ser ele o jardineiro, respondeu: “Senhor, se tu o levastes, dize-me onde o puseste, e eu o irei buscar”.

Porém aquele homem não era um jardineiro comum! Ele era o cumprimento da profecia descrita em Cantares 6:2: “O meu amado (JESUS) desceu ao seu jardim, aos canteiros de bálsamo, para pastorear nos jardins e para colher os lírios”. Maria Madalena foi o primeiro lírio colhido por Jesus depois da ressurreição!

 

Enquanto aqueles que foram escolhidos à dedo, chamados pelo nome, se preocupavam com questões sociais e humanas, como “quem sentaria ao lado do Senhor”, ou “se Jesus morreria ou não ao lado deles”, a pecadora, reincidente, ex- prostituta, Maria Madalena, da pior raça que existe, simplesmente adorava ao Mestre. Foi para ela que o Senhor apareceu primeiro. Ela recebeu a honra do Senhor!

Se quer que o Senhor apareça primeiro para você, passe a ter uma vida de adorador!

 

FONTE : 80 ESBOÇO DE PREGAÇAO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *