I. O Professor e o Ensino
A. Que é ensinar?
• É despertar a mente do aluno e guiá-la no processo da
aprendizagem. Aprendemos através da mente!
• Ensinar é mostrar – explicar – guiar – comunicar.
• E ajudar a aprender.
• É moldar vidas.
• E mõtivar a mudança de uma conduta anterior.
B. O professor espiritual e preparado
• É a nossa maior necessidade.
• O êxito de nossas Escolas Dominicais depende disso.
• O professor espiritual e preparado completa o trabalho do evangelista ou pregador. O ensino da Palavra deve ser
em toda igreja uma seqüência da pregação.
E melhor um professor com pouco preparo, mas espiritual, do que o contrário. Somente o preparo não realiza.
O professor da Escola Dominical precisa ensinar tão
bem a lição bíblica do dia, quanto o professor de matemática
ensina sua matéria.
C. O ensino do ponto de vista do professor
1. Por que ensino? — Por amor e gratidão a Deus, e também em obediência à ordem divina (Mt 28.19-20).
2. Qual o meu propósito no ensino? — Há um propósito
tríplice: salvar pecadores, edificar os crentes e treinar futuros
obreiros..
3. Que ensinarei? — A Bíblia, por excelência (Mt 28.20).
4. A quem ensinarei? — A grupos de alunos de diferentes idades (Dt 31.12), o que implica conhecimento de suas características psicológicas.
5. Como ensinarei? — Capacitado por Deus e preparado
no que depender de mim (2 Tm 2.2,15 – ARA; 1 Pe 3.15).

II. O professor e o preparo da lição
Esse preparo é parte dos deveres semanais do professor.
A. Material para o preparo da lição.
• A Bíblia. Para o estudo do texto da lição, contexto,
referências. Adquira as versões correntes em português.
• A revista do Aluno. É este o material de estudo de que
o aluno dispõe.
• A revista do Professor.
• Livros de consulta e referência, como dicionários bíblicos, concordâncias, comentários. Cuidado para não tomar-se
um simples eco ou reflexo dos livros!
• O estudo apresentado na reunião semanal de professores da Escola Dominical.
• Lições anteriormente estudadas.
• Apontamentos pessoais do professor.
• Ilustrações. Fatos pessoais. Observações. O professor
deve ser um bom observador.
• Oração. Tudo acima, deve ser regado com oração.
O preparo da lição como acabamos de apresentar, deve
ser feito tendo em vista a necessidade do aluno e não a do
professor. O que interessa a um adulto, não interessa a um
jovem ou a uma criança.
Preparar a lição sem pensar nisso é ficar diante da classe
“pregando no deserto”. Q professor deve preparar a lição tendo em mira três propósitos para com o aluno:
• Que desejo que meus alunos aprendam? Isto visa a
mente do aluno. E o plano objetivo da lição.
• Que desejo que meus alunos sintam? Isto visa a
afetividade do aluno. E o plano subjetivo da lição.
• Que desejo que meus alunos façam? Isto visa a vontade
do aluno, aliada à prática. E o plano objetivo-subjetivo da lição.
B. Etapas no preparo da lição
1. Estudo pessoal, usando:
• A revista da Escola Dominical.
• Apontamentos feitos na hora do estudo individual

2. Estudo em fontes de consulta. O material necessário
deve ser extraído e ordenado. Veja que fontes tem! Não se
trata de ter muitos livros, mas de tê-los bons.
3. Preparo do esboço da lição
• Este é um necessário recurso mnemônico.
• Deve ter no máximo quatro pontos ou subtópicos.
• Deve apresentar unidade e coerência.
• Quando mais bem detalhado e completo é chamado
Plano de Aula.
4. Escolher os métodos e o material de ensino que será
adotado durante a lição.
5. Preparo de trabalhos para a classe
• Questionários (5 a 10 perguntas).
• Testes de vários tipos.
• Tarefas orais ou escritas para o domingo seguinte.
Pode ser pesquisa, trabalho manual, ou mini-preleção de um
ponto da lição ou versículo.
• Anúncios e comunicações de interesse da classe.
Quanto tempo você gasta no preparo da lição? Convém
atentar para Jeremias 48.10. O preparo da lição deve começar na segunda-feira e prosseguir diariamente a semana inteira. O preparo de uma aula bíblica de 50 minutos não pode
ser coisa de fim de semana!

III. O professor e a apresentação da lição
A. Chegue cedo! Pelo menos 10 minutos antes da hora de
começar a reunião da Escola Dominical.
B. Antes do estudo da lição, o secretário da classe cuidará
das seguintes providências preliminares:
• Arrumação da sala.
• Apontamentos da classe, conforme o sistema de registro adotado.
• Boas-vindas aos visitantes.
• Cumprimentos aos aniversariantes.
• Matrícula dos novos alunos (usando o Cartão de
Matrícula).

C. Etapas da lição diante da classe (50 minutos)
1. Introdução da lição 3 minutos
• E o ponto de contato com a classe. O fato utilizado
para introduzir a lição deve ser bem apropriado.
• Oração. Ore ou convide um aluno a fazer oração.
• Boas-vindas.
• Prender a atenção dos alunos.
• Introduzir o assunto da lição e seu relacionamento
com as demais lições da série em estudo.
2. Explanação da lição…………………………….30 minutos
E o corpo da lição ou aula, segundo o esboço preparado.
3. Verificação da lição………………………………..5 minutos
E a recapitulação dos pontos e verdades básicas da
lição, seguida de perguntas e respostas.
4. Aplicação da lição……………………………….. 7 minutos
Uma das partes mais importantes da lição. O conhecimento pessoal adquirido pelo aluno não será eficaz se não for
aplicado. Seu valor vem da sua utilidade imediata ou remota,
quando aplicado pela pessoa que o obteve.
E a aplicação das verdades bíblicas ensinadas, à vida
e necessidades dos alunos, bem como aos tempos atuais.
A aplicação da lição, corresponde, digamos, ao apelo
na pregação.
5. Encerramento da lição………………………… 5 minutos
É a entrega das tarefas e atividades, avisos sobre trabalhos especiais da igreja, etc.
Controle seu tempo! O professor dispõe de apenas
50 minutos para tudo isso, mas se ele souber dosar o tempo,
este será suficiente.
A apresentação da lição como exposta acima, aplica-se
às classes acima de 12 anos. Abaixo dessa idade a apresentação é diferente, havendo constantemente, mudança de atividade escolar, com mudança de métodos de ensino, é óbvio,
para ganhar-se a t e n ç ã o e manter vivo o in t e r e s s e do aluno.
É da maior importância aqui o emprego de meios auxiliares
de ensino, dando colorido, dimensão e sentido às lições.

D. A linguagem do Professor
Grande número de pessoas têm falhado em suas carreiras, inclusive no ensino, devido a dificuldades no falar, em
exprimir-se de forma adequada.
A arte de falar torna a palavra, entre outras coisas, correta e expressiva.
• Correta. Pronúncia perfeita, com a articulação compíeta de todos os sons que compõem a palavra. Evitar e corrigir defeitos de pronúncia.
• Expressiva. Tradução perfeita da idéia que queremos
exprimir. A expressão implica em entonação, pontuação e
escolha das palavras. A entonação torna a voz agradável e elegante, mesmo vigorosa. A pontuação aclara o sentido, facilitando a compreensão. A escolha das palavras exatas faz com que o
ouvinte compreenda claramente o que queremos dizer-lhe.
O professor deve então cuidar de tornar as suas palavras
c o r r e t a s e e x p r e s s iv a s . A linguagem revela muito da personalidade do indivíduo.
Uma fala perfeita dá prazer ao ouvido, mas o falar errado,
seja na entonação, na pronúncia, na pontuação, ou na escolha
das palavras, cansa os ouvintes, e o auditório todo só acerta
dizer: “amém”, não em sinal de satisfação, mas ansioso que o
preletor pare.
A expressão oral perfeita, impõe-se e dá destaque, mesmo
que o orador seja modesto e humilde. E um prazer ouvir alguém falar corretamente, com expressão e graça. Em Juizes
12.2-7, temos um caso em que 42.000 homens morreram por
causa de má pronúncia. Hoje em dia muitos “matam” seus
ouvintes da mesma maneira… O professor tem que cuidar da
linguagem, porque ele se utiliza dela quase todo o tempo da
aula. (Ver os seguintes textos: Pv 15.1; 16.24; Ct 5.16;
1 Co 14.8,9.)
A linguagem do professor, quanto ao vocabulário, deve
ser comum a ele e a seus alunos.

IV. Jesus como exemplo de professor
O Mestre do professor é o Senhor Jesus — o Mestre dos
mestres. Para o professor ser eficaz no ensino, precisa seguir
de perto os passos do seu Mestre. Vejamos alguns pontos sobre Jesus como Mestre.
A. Jesus conhecia a matéria que ensinava. A passagem de
Lucas 24.27 faz menção ao maior estudo bíblico da história:
abarcou o período de Moisés a Cristo. (E, tão grande estudo foi
dirigido para uma classe de 2 alunos!) Através dos Evangelhos vemos, por suas citações das Escrituras, como Jesus conhecia o Livro Sagrado.
B. Jesus conhecia os seus alunos. Tanto eles andavam
com Jesus, como Jesus os visitava. Os ensinos objetivos e ilustrados do Mestre, bem como seu modo de proceder para com
eles, demonstram que Jesus os conhecia bem. (Ver Mateus
capítulo 13; Lucas 15.8-10; João capítulo 21, etc.)
C. Jesus reconhecia o que havia de bom em seus alunos
(Ver João 1.47). O professor jamais deve apresentar-se à sua
classe com ares de superioridade, com aspecto dominante.
Paulo, com toda a sua grandeza, reconhece as qualidades dos
seus irmãos na fé e cooperadores (Rm cap. 16; Fp 2.20-25).
D. Jesus ensinava as verdades bíblicas de modo simples e
claro. Exemplos: Lucas 5.17-26; 13.3; João 14.6. Ele tomava
as ocorrências comuns da vida, conhecidas de todos, para ensinar as verdades eternas de Deus. (Ver Mateus 9.16; 11.16.)
E. Jesus variava o método de ensino conforme a ocasião e
o tipo de ouvintes. As vezes ele usava o método de perguntas,
o ilustrativo, o de discussão, preleção, tarefas, leitura, etc.
Com a mulher samaritana, usou o método de perguntas; com
os discípulos a caminho do Jardim das Oliveiras, usou o de
preleção.
F. Jesus ensinava através do seu exemplo, isto é, sua vida
de obediência. (Lede João 13.15; Atos 1.1; 1 Pedro 2.21).
G. Jesus sabia o que ia fazer (Jó 6.6). O professor da Esco­la Dominical deve saber o que vai ensinar a seus alunos,
quando diante de sua classe.
H. Jesus ensinava com graça (Lc 4.22). É a graça divina
na vida do professor que torna a sua aula realmente eficaz e
de efeito duradouro para a glória de Deus.
I. Jesus ensinava com autoridade e poder divinos (Lc
4.36). Só aos pés do Senhor em oração e comunhão com Ele é
que o professor obtém autoridade e poder divinos renovados
em sua vida, para ensinar na casa de Deus.
Questionário
1. Cite alguns conceitos sobre o que é ensinar.
2. Fale sobre o professor preparado.
3. Que materiais o professor utiliza no preparo da lição?
4. Qual o papel da oração no preparo da lição?
5. Dê as diferentes etapas no preparo da lição.
6. Dê as diferentes etapas na apresentação da lição diante da
classe.
7. Quanto à apresentação da lição, que é.
• Introdução?
• Explicação?
• Verificação?
• Aplicação?
• Encerramento?

FONTE: Manual da Escola Bíblica dominical

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *