I. Finalidades dos métodos de ensino
É adaptar a lição ao aluno. Nunca o contrário.
Os métodos de ensino atuam nos sentidos físicos do aluno.

II. O uso dos métodos de ensino
Uma aula apresenta normalmente uma combinação de
dois ou mais métodos. Nunca um só. Jesus ensinou usando
métodos. Seguiremos seus passos no estudo dos métodos.
Métodos somente, não resolvem. E preciso que o professor
(ou o obreiro cristão em geral) tenha também duas outras
coisas — a mensagem dada por Deus, e a vida vibrante pelo
Espírito Santo. O Mestre Jesus tinha as três coisas: m é t o d o
(que comunica), m e n s a g e m (que ensina) e v i d a (que conserva). Você pode preparar um trabalho, um sermão, um estudo
bíblico, a lição bíblica, etc., com todo carinho, esforço e boa
vontade, mas somente Deus pode dar a mensagem cheia de
vida espiritual.

III. A escolha e combinação dos métodos de ensino
Depende de vários fatores, como:
• O grupo de idade, o qual tem suas características próprias, físicas, mentais, sociais e espirituais.
• O material que vai ser utilizado.
• O tempo de duração da aula. O preparo da aula é calcado no espaço de tempo que se terá e de conformidade com a
idade dos alunos.
• As instalações de ensino da escola. Não se pode aplicar
um determinado método sem haver condições para isso.

• O conhecimento do professor. O conhecimento que ele
já tem do assunto em mira, bem como o das leis do ensino e da
aprendizagem.
• Os objetivos da lição do dia. Isso deve muito influir na
escolha dos métodos de ensino da lição, pelo professor.
IV. Os métodos de ensino
Os métodos de ensino afetam os sentidos físicos, os quàis
são meios de comunicação da alma com o mundo exterior. E
por meio deles que ela explora o mundo em volta de si, bem
como recebe suas impressões.
A. O Método de Preleção. Também chamado Expositivo.
(Mt 5.1,2 – ARC; Lc 4.22). Nunca deve ser usado só. Em combinação com outros métodos, como Jesus usou, é de grande
valor no ensino. Sozinho, tem mais desvantagens do que vantagens. Nem sempre falar quer dizer ensinar] E praticamente
nulo com os infantis. (Não confundi-lo com o método da Narração, que veremos logo mais.)
B. O Método de Perguntas e .Respostas.Também conhecido
por Método Socrático, por ter sido largamente usado ppr
Sócrates. Por exemplo: Mateus 22.42-45, encerra quatro perguntas de Jesus. Vantagens deste método:
• Serve como ponto de contato entre o professor e o aluno.
• Ajuda a medir o conhecimento do aluno. Como o professor pode saber se o aluno entendeu a verdade ensinada?
(Ver Mateus 13.51; 16.9-12; 22.20; Marcos 13.2.)
• Desperta o interesse. E portanto um método utilíssimo para início e fim de aula. Jesus iniciou uma palestra com
um doutor, perguntando: “Como interpretas a lei?” (Lc 10.26).
Filipe, o evangelista, iniciou sua fala com o alto funcionário
de Candace, perguntando: “Compreendes o que vens lendo?”
• Estimula e orienta o pensamento. Uma pergunta bem
feita leva de fato o aluno a pensar (ver Mateus 9.28).
E preciso técnica na formulação de perguntas. Observe isto:
• Faça perguntas resumidas e claras.
• Evite perguntas cujas respostas serão sim ou não.

Exemplo de pergunta errada: “Jesus mudou água em
vinho, em Caná da Galiléia?” A pergunta correta seria: “Que
milagre fez Jesus em Caná da Galiléia?”
• Ao lançar uma pergunta, você como professor:
1. Dirija-se à classe toda.
2. Faça uma pausa de 5 a 6 segundos para que todos
pensem na resposta.
3. Em seguida, chame um aluno pelo nome para respondê-la. Evite seguir uma ordem exata na chamada dos alunos.
4. Dê importância à resposta certa.
O método de perguntas e respostas leva o aluno a participar
ativamente da aula. Pode ser usado em todos os grupos de idade.
Aos alunos de mais idade, o professor deve mostrar a
diferença entre perguntar para querer saber, e simplesmente especular.
C. Método de Discussão. É também chamado Debate Orientado. A seqüência na condução do Método da Discussão, é: p e r ­
g u n t a , seguida de a r g u m e n t a ç ã o , seguida de a n á l is e , seguida
de r e s p o s t a (Lc 24.15-27,32; At 17.3,17; 18.4; 19.9). Para discutir um assunto, subentende-se que os alunos já têm informação
sobre o me^mo. O professor precisa manter o equilíbrio da argumentação e não permitir que o tema seja desviado, ou que
um aluno fale mais tempo que o estritamente necessário. Se o
método não for habilmente conduzido pelo professor resultará
em desorganização, confusão, e até aborrecimentos.
D. Método Audiovisual. Os registros mais antigos das primeiras civilizações trazidos à luz pela arqueologia estão em
forma visual, principalmente desenhos e esculturas.
No método audiovisual, a mensagem que se quer transmitir é ouvida e vista, combinando assim dois poderosos canais de comunicação na aprendizagem. Ela atrai e domina a
atenção, aumentando portanto a retenção. Os psicólogos ensinam que as impressões que entram pelos olhos são as mais
duradouras.
Exemplos de Jesus utilizando este método: Mateus 6.26
(Olhai para as aves do céu); Mateus 6.28 (Olhai para os lírios
do campo); João 10.9 (Eu sou a porta); João 15.5 (Eu sou a
videira, vós as varas); Marcos 12.15,16 (“Trazei-me um denário. De quem é esta efígie?”); Lucas 9.47 (Tomou uma
criança, colocou-a junto a si); Ezequiel 4.1 (Deus mandando
Ezequiel gravar o perfil de Jerusalém num tijolo).
Portanto este método utiliza material o mais variado. Seu
emprego é de grande valor no setor infantil, mas também nos
demais. Depende do emprego dosado.
E. O Método de Narração. São as histórias. E nesse campo, nada suplanta a Bíblia. Jesus usou muito este método,
apresentando histórias em forma de parábolas, como em
Mateus capítulo 13 (todo). A história é qual janela deixando a
luz entrar. Na Bíblia, a maior fonte de história é o Antigo
Testamento. Pode ser aplicado a todas as idades. A história,
depois de narrada, precisa ser aplicada. Veja o caso de Natã
ensinando a Davi, em 2 Samuel 12.1-4 e, em seguida, aplicando o ensino no versículo 7 do mesmo capítulo. O Novo Testamento também contém muitas histórias.
A história é para a criança o que o sermão é para o adulto.
Exemplos de Jesus usando o método de narração:
• O Bom Samaritano (Lc 10).
• A Ovelha Perdida (Lc 15).
• As Dez Virgens (Mt 25).
• O Filho Pródigo (Lc 15).
Há muitas outras fontes de histórias além da Bíblia, como
a natureza, as biografias, os fatos do momento, etc.
1. Três distintas finalidades de uma história
• Usada como lição em si.
• Usada como ilustração em apoio a um tema.
• Usada como introdução de uma lição ou tema.
2. Duas regras básicas para o êxito ao contar histórias
• Conheça de fato a história.
• Mentalize a história, mesmo conhecendo-a.
• Viva a história; isto é, “sinta-a” ao contá-la e dramatizá-la.
F. O Método de Leitura (Lc 4.16; Jó 8.6). O professor pode
mandar os alunos procurar textos em suas Bíblias e ler. Isto
tem um valor maior do que se pensa. A leitura pode ser de
outra fonte além da Bíblia.

G. O Método de Tarefas. Esse é um grande método —
aprender fazendo. Método ideal para crianças desde a mais
tenra idade. A criança aprende de fato quando faz a lição,
devidamente instruída pelo professor. Jesus, para ensinar
certa lição a Pedro, usou este método (Mt 17.24-27). Outros
exemplos: Mateus 17.16-21; Marcos 6.45-52; Lucas 9.14-17;
João 9.6,7; 21 (o capítulo todo); At 17.11.
Aqui estão incluídos:
• Trabalhos de pesquisa.
• Trabalhos de redação.
• Trabalhos manuais (desenhos, esboços, mapas, montagens de lições ilustradas, figuras, labirintos, enigmas, palavras cruzadas).
O professor ao aplicar este método, deve dar instruções
as mais claras possíveis se quiser ver resultados satisfatórios.
H. O Método Demonstrativo. É o método do exemplo, altamente influente e convincente. E ensinar fazendo. Jesus
usou-o. Ele fazia antes de ensinar (Jó 13.15; At 1.1; 1 Pe 2.21).
E o método “faça como eu faço”. E o método do exemplo (Ed
7.10; Mt 4.19; 6.9; 11.2-5; Jó 13.15; 1 Co 11.1). Os alunos precisam não somente aprender de Cristo, mas “aprender a Cristo” (Ef 4.20). Só é possível “aprender a Cristo” quando Ele tem
expressão por meio da vida de alguém.
As marchas e cânticos com gestos para os pequeninos têm
grande valor aqui, assim como as dramatizações.
Todos os métodos de ensino conduzem às duas coisas
quanto ao aluno: impressão e expressão. Isto é, os métodos
visam impressionar a mente e o coração do aluno, para levá-lo
a expressar-se educativãmente.

V. Acessórios de ensino
Alguns deles são:
• Quadros, gravuras (especialmente os coloridos).
• Flanelógrafos (de diferentes tipos).
• Projetores de variados tipos (dependendo de custo e finalidades).
• Retroprojetor.

• Episcópio.
• Transparências, eslaides educativos e de boa fonte,
quanto à qualidade e conteúdo.
• Mapas bíblicos para aula.
• Livros de trabalhos manuais.
• Lápis em cores, cartolina, etc.
• Modelos (do tabernáculo, do templo de Salomão, de casas orientais, etc.).
Questionário
1. Que são métodos de ensino?
2. Dê a finalidade dos métodos de ensino.
3. De que depende a escolha e combinação dos métodos de
ensino?
4. Cite alguns métodos de ensino. Dê referências bíblicas.
5. Dê exemplos de acessórios de ensino.
6. Que método não deve ser utilizado só, especialmente com
os pequeninos?
7. Qual a grande vantagem do método audiovisual?
8. Segundo os psicólogos, quais as impressões que mais perduram?
9. Depois da história narrada, qual deve ser o passo seguinte?
10. Qual a diferença entre aprender de Cristo, e aprender a
Cristo? (Ef 4.20).

FONTE: Manual da Escola Bíblica dominical

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *