São tantas coisas que a Bíblia não diz… O assunto deste capítulo daria
um novo livro. Mas vou analisar de maneira sucinta mais algumas frases
tidas como bíblicas.
Um ao outro ajudou. Muitos têm citado o versículo bíblico “Um ao
outro ajudou e ao seu companheiro disse: Esforça-te” (Is 41.6). Mas é uma
pena que isso esteja relacionado com os inimigos do povo de Deus! Você
sabia disso? Leia o contexto…
Restitui. Quero de volta o que é meu. O pensamento contido na letra
de uma canção “evangélica” pela qual se afirma que devemos buscar
restituição junto a Deus é bíblico? Bem, alguém já chamou esse “hino” de
“melô do imposto de renda”… Mas, quem somos nós para exigirmos alguma
coisa? Quem somos nós para fazer uma exigência desse tipo? Uma coisa é
certa: em Cristo, somos mais que vencedores (Rm 8.37), e as coisas velhas já
passaram; tudo se fez novo (2 Co 5.17).
Não diga a Deus qual é o tamanho do seu problema. Eis outra frase de
efeito: “Não diga a Deus qual é o tamanho do seu problema, mas ao
problema qual é o tamanho do seu Deus”. Tudo bem, tudo bem… O Senhor é
maior do que todas as coisas. Contudo, esse chavão desestimula o crente a
orar. É claro que precisamos dizer a Deus que as nossas necessidades são
grandes ou pequenas. Isso se chama oração.
Agora tudo é profético. Hoje em dia, tudo é profético: “intercessão
profética”, “mover profético”, “adoração profética”… Certa cantora, como já
vimos, vestiu uma bota para pisar “profeticamente” na cabeça do Diabo. Um
grupo escalou e ungiu o pico Dedo de Deus (no Rio de Janeiro),
“profeticamente”… Ah, também existe escola de capacitação profética! Meu
Deus! Que banalização é essa? Tudo agora é profético? É claro que a Bíblia
não apóia nada disso. Trata-se de mais um modismo…

 

fonte: Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar – Ciro Sanches Zibordi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *