No capítulo 7, discorrerei sobre várias passagens que mencionam
as duas etapas da Segunda Vinda. O objetivo deste capítulo
é apresentar pormenores ligados ao Arrebatamento. Entretanto,

muitos pregadores ainda não descobriram que a Bíblia é análoga.
Ouvi, há pouco tempo, um expoente de renome afirmando o seguinte:
“Esse negócio de que a vinda do Senhor terá duas fases é
invenção dos teólogos pré-tribulacionistas. Onde está escrito isso?
Gostaria que alguém me mostrasse pelo menos um versículo que
apresente a Segunda Vinda em duas etapas”.
Hoje, conhecemos de modo abrangente a sequência dos eventos
futuros. Isso é um privilégio e também uma grande responsabilidade.
Afinal, que desculpa temos para não estarmos preparados?
Quando estudamos acerca do Arrebatamento, descobrimos que a
nossa compreensão das profecias sobre a Segunda Vinda é muito
melhor do que a que possuíam os profetas veterotestamentários e
os crentes que viveram na época do Novo Testamento.
Os profetas do Antigo Testamento apenas vaticinaram que o
Senhor Jesus viria ao mundo, mas não sabiam que Ele viria duas
vezes. E mais: nem passava pela cabeça deles que a Segunda Vinda
abarcaria diversos eventos, como o Arrebatamento, o Tribunal de
Cristo, as Bodas do Cordeiro, a Grande Tribulação, a batalha do
Armagedom, o julgamento das nações, etc, antes do estabelecimento
do Reino Milenar.
Em Isaías 61.1,2, as duas vindas do Senhor são apresentadas
como um único acontecimento: “O Espírito do Senhor JEOVÁ está
sobre mim, porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas-novas
aos mansos, enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar
liberdade aos cativos e a abertura de prisão aos presos;
a apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do
nosso Deus”. Por que ele menciona, na mesma profecia, o dia da
vingança do nosso Deus, se isso ocorreria apenas por ocasião da
Segunda Vinda? Porque ele mesmo não conhecia esse pormenor.
Vemos, em Lucas 4.17-21, que o Senhor Jesus, depois de ter
lido a profecia de Isaías até o ponto que menciona “o ano aceitável
do Senhor”, fechou o livro e concluiu: “Hoje se cumpriu a Escritura
que acabais de ouvir”. Por que Ele não continuou a leitura?
Porque o dia da vingança se refere à Segunda Vinda do Messias.
Segue-se que Isaías não conhecia a doutrina bíblica das duas vindas
do Senhor (Hb 9.28; Jo 14.3).

O mesmo acontece com o profeta Zacarias. Ele menciona as
duas vindas como um único evento escatológico: “Alegra-te muito,
ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém; eis que o teu Rei virá a
ti, justo e Salvador, pobre e montado em jumento, sobre um
asni-nho, filho de jumenta. E destruirei os carros de Efraim e os
cavalos de Jerusalém, e o arco de guerra será destruído; e ele
anunciará paz às nações; e o seu domínio se estenderá de um mar
a outro mar e desde o rio até às extremidades da terra” (9.9,10). O
versículo 9 se cumpriu quando Jesus Cristo veio ao mundo pela
primeira vez (Mt 21.1-11), mas o 10 faz parte do Segundo
Advento.
Veja também o caso de João Batista, um profeta que é mencionado
no Novo Testamento, mas que teve um ministério profético
nos moldes do Antigo Testamento (Lc 16.16). Ele, que era cheio do
Espírito Santo desde o ventre materno (Lc 1.15) e que testificara
(do Senhor Jesus com muita convicção (Jo 1.19-31; 3.38), mandou
perguntar-lhe se Ele era verdadeiramente o Cristo (Mt 11.1,2).
Muitos, por causa dessa indagação, pensam que João fraquejara,
espiritualmente. Na verdade, ele ficou confuso porque não sabia
que o Cristo viria ao mundo duas vezes. Ele pensava que Jesus
restauraria já naqueles dias o Reino a Israel.
Nossa compreensão também é bem mais abrangente do que a
dos crentes que viveram nos primeiros séculos. Isso mesmo. Deus
revelou inúmeros mistérios ao apóstolo Paulo e, por isso, ele disse:
“Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei” (1 Co
11.23). No entanto, a nossa compreensão — dois milénios depois
— é mais abrangente que a dele. Pense nos comentários bíblicos,
dicionários e enciclopédias à nossa disposição. Temos até filmes
sobre os eventos futuros!
Aprendi com o mestre António Gilberto que os justos que viveram
nos tempos bíblicos conheceram apenas os rudimentos da revelação
divina (Hb 6.1). É como se eles tivessem tido contato com
a cartilha de Deus. Mas nós temos o privilégio de conhecer a Bíblia
completa. E, por isso mesmo, não temos desculpa alguma para não
entendermos a revelação de Deus a respeito da Segunda Vinda.
Hoje, podemos, além de distinguir as duas vindas, entender
que o Segundo Advento se dará em duas etapas: o Arrebatamento

(nos ares), para a Noiva (2 Co 11.2), e a Manifestação em poder
e glória (na terra), com a Esposa (Ap 19.7). Que privilégio! Podemos
compreender verdades que nenhum dos profetas antigos
conseguiu assimilar.
Sabemos que Cristo, em sua primeira vinda, resgatou-nos do
domínio do pecado (Rm 6.14), ressuscitou para a nossa justificação
(Rm 4.25), fundou a sua Igreja (Mt 16.18) e ascendeu ao céu
(At 1.7-11). Mas também sabemos — porque temos a Bíblia completa
— que Ele voltará para arrebatar os salvos, nas nuvens (1 Ts
4.16,17); e que, sete anos depois, pisará na terra para instaurar o
Milénio (Ap 19.11,15; 20.1-6).
A Segunda Vinda, portanto, abrangerá um período de sete anos,
compreendendo três grupos de povos: os judeus, os gentios e a
Igreja de Cristo (1 Co 10.32). Para os judeus, o Senhor virá como
o Libertador, o Messias, a fim de implantar o Milénio. Para os
gentios, virá como Juiz. E para a Igreja, como o seu Noivo, para
levá-la ao céu!

 

fonte: Erros Escatológicos que os Pregadores Devem Evitar

1 opinião sobre “A SEGUNDA VINDA SE DARÁ EM DUAS FASES? COMO ASSIM?”

  1. Olá, bom dia. ao ler este estudo, me pergunto por que a resistência em aceitar que Jesus voltará uma vez para buscar sua igreja e depois, virá novamente, agora não só mas com sua igreja, para, em suma, instituir o reino milenial.
    Me valendo da técnica do versículo isolado, utilizada no estudo, e para não me alongar, cito Hb 9 . 28 ” Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para levar os pecados de muitos, APARECERÁ SEGUNDA VEZ, sem pecado, aos que o esperam para salvação”. Por acaso não seriam estes que o aguardam, nós que seremos arrebatados ?
    Meditemos juntos, pelo Espírito de Deus, amem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *