Quem prega a Palavra de Deus precisa ter em mente que apartar-se da
prudência e da simplicidade que há em Cristo é uma escolha errada (Ef 5.15;
2 Co 11.3). Lembremo-nos do que Jesus disse aos seus mensageiros: “Eis
que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes
como as serpentes e símplices como as pombas” (Mt 10.16).
Há obreiros que, em vez de agir com simplicidade, sem
extravagâncias, recorrem à excentricidade dramática! Preferem o ritualismo,
o formalismo e o artificialismo; são verdadeiros atores. É claro que não
precisamos adotar uma imobilidade sepulcral, porém devemos nos portar
com sabedoria diante das igrejas de Deus (1 Co 10.32), a fim de que sejamos
exemplo em tudo (1 Tm 4.12).
Como deve ser a nossa postura no púlpito, ao pregar o evangelho? O
Mestre Jesus — nosso maior exemplo (Jo 13.15) — simplesmente expunha a
Palavra de Deus: “E, abrindo a sua boca, os ensinava, dizendo: Bemaventurados
os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus” (Mt
5.2,3).

 

fonte: Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar – Ciro Sanches Zibordi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *