Esta dispensação começou em Gênesis 8.20 e perdurou
cerca de 427 anos. Desde o tempo do Dilúvio até a Dispersão
dos homens sobre a superfície da terra, sendo consolidada
com a chamada de Abraão (Gn 10.25; 11.10-19;
12.1 e ss).
Sob a Inocência, como sob a Consciência, o homem
fracassou inteiramente, e o julgamento do Dilúvio marca o
fim da segunda dispensação e o começo da terceira. A declaração
da Aliança com Noé sujeita a humanidade a uma
prova. Ele, Noé, o sobrevivente do Dilúvio, era o pai do Sé-
culo Pós-diluviano e do mundo presente. Embora sendo da
décima geração depois de Adão, ele nasceu apenas 14 anos
depois da morte de Sete.
Durante essas 8 gerações e por mais de 350 anos ele viveu
entre os homens daquela nova geração depois do Dilú-
vio. O novo mundo, portanto, teve um pai piedoso.

 

fonte: Escatologia Severino Pedro da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *