Dominar as técnicas de oratória e conhecer bem a Homilética não é o
suficiente para ser um pregador bem-sucedido. Todas essas ferramentas só
têm eficácia quando postas em prática por um pregador expositivo piedoso e
fiel à fonte primacial de autoridade, a Palavra do Senhor. Além disso, é
necessário atentar com diligência para os preceitos de interpretação
constantes da Hermenêutica Bíblica.
O pregador expositivo precisa conhecer e saber aplicar com perícia os
tais princípios de interpretação das Escrituras. Ele não deve escolher entre
Homilética e Hermenêutica, como se essas ciências fossem antagônicas ou
opcionais. Não! Sem interpretação correta das Escrituras não há pregação
expositiva!
Ralph Pviggs, em seu Guia do Pastor (Editora Vida, p.49), disse o
seguinte sobre a “Hermelética”:
A Hermenêutica é a ciência da interpretação. Existem certas leis
básicas e fundamentais que governam a interpretação, e que se
tornam evidentes por si mesmas. O conhecimento dessas regras
e o uso cuidadoso delas evitam ao estudante da Bíblia cair em
interpretações tolas e extravagantes da Palavra de Deus. Vale a
pena, ao futuro ministro, empregar tempo nesse estudo das leis
da Hermenêutica Sagrada, até dominá-las convenientemente
(…)
Intimamente ligado ao estudo da teologia pastoral é o estudo da
Homilética. O pastor deve pregar, e a Homilética lhe ensina
como fazê-lo. Há vários tipos de sermões, assim como a
maneira correta e a errada de pregar. Essa é uma ciência
indispensável ao pregador.

 

fonte: Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar – Ciro Sanches Zibordi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *