Nesses dias que antecedem ao Arrebatamento da Igreja, há
muitos falsos mestres (2 Tm 4.3) e inúmeras pessoas enganadas,
desviando-se da fé genuína. A menos que atentem para as palavras
de Jesus, elas continuarão buscando a prosperidade financeira e a
pretensa saúde perfeita como prioridades da vida cristã, além de
acreditarem na maldição hereditária e na falsa cura interior, resultante
de sessões de regressão psicológica.
Calma… É apenas o Começo
Muitos “mestres da fé” têm ensinado que o cristão só adoece se
estiver em pecado ou dominado pelo Diabo, ignorando que nem
todas as doenças provêm do Maligno (Jo 9.3; 11.4). Afinal, o corpo
humano se desgasta naturalmente (SI 90.10; 1 Pe 1.24), além de
estar sujeito às enfermidades (1 Tm 5.23; 2 Tm 4.20). A despeito
de o Senhor Jesus ser poderoso para nos curar, segundo a sua vontade
(1 Jo 5.14; Mt 6.9,10; 26.42), Ele mesmo fez o nosso corpo
mortal e corruptível (2 Co 4.16). Em breve, porém, este se revestirá
de imortalidade e de incorruptibilidade (1 Co 15.54). Aleluia!
Esses últimos dias são tempos de perseguição, mas não para
os crentes nominais. Os cristãos (cristãos?) que se parecem com
os mundanos vivem tranquilamente, como se o Paraíso fosse aqui
mesmo. O ódio contra os servos do Senhor se dá por causa do
nome de Jesus. Se alguém não quiser ser perseguido, é simples:
não ande como Jesus andou! Os crentes perseguidos não são os
que estão acomodados, que buscam prosperidade material e uma
convivência amigável com os incrédulos. A profecia concernente
ao acossamento dos cristãos está relacionada com os praticantes,
que vivem e pregam o evangelho (Mc 13.10,11).
Alguns pregadores têm verberado — com razão — contra emissoras
de televisão que exibem estereótipos de cristãos em suas novelas.
Ao mesmo tempo, muitos evangélicos, para serem aceitos
pela sociedade, estão agora tomando a forma do mundo, falando
a sua linguagem e procurando mostrar a todos que são apenas
pessoas normais, seguidoras de uma religião um pouco diferente.
Amigos do mundo (Tg 4.4) são bem tratados pela sociedade, posto
que não incomodam. Mas o Senhor Jesus disse: “Então vos hão de
entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão. Sereis odiados
de todas as nações por causa do meu nome” (Mt 24.9).
Não podemos ignorar também o que está escrito em Mateus
5.11,12: “bem-aventurados sois vós quando vos injuriarem, e perseguirem,
e, mentindo, disserem todo o mal contra vós, por minha
causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos
céus. Porque assim perseguiram os profetas que foram antes de
vós”. Não é normal sermos bem tratados neste mundo, a menos
que nos conformemos com ele, abraçando o pensamento ecuménico
(gr. oikoumenikós, “aberto para o mundo inteiro”). O ecumenismo
prioriza a imparcialidade em detrimento da verdade e tem sido
uma das principais estratégias malignas contra a Palavra de Deus.
A perseguição contra os cristãos pode ocorrer também entre os
familiares, como disse o Senhor: aE até pelos pais, e irmãos, e
parentes, e amigos sereis entregues; e matarão alguns de vós” (Lc
21.16). Quando alguém se converte de verdade, as potestades do
mal se enfurecem, haja vista o Inimigo saber que um crente de vida
ativa é uma ameaça para o domínio das trevas. Por isso, muitos
não estão dispostos a ter uma vida cristã atuante (Mt 10.32-39).

 

fonte: Erros Escatológicos que os Pregadores Devem Evitar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *