10 de Outubro de 2021
 
Jovens 4º Trimestre de 2021
 
TEXTO DO DIA
“Filhinhos, e já a última hora; e como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos; por onde conhecemos que é já a última hora.”(1 Jo 2.18)
 
SÍNTESE
Ninguém sabe o dia em que se dará o Arrebatamento da Igreja. Esse dia não pode ser marcado, mas há consideráveis sinais que mostram a proximidade do Dia do Senhor.
 
AGENDA E LEITURA
SEGUNDA – Jl 3.14: A proximidade do dia do Senhor
TERÇA – Hc 2.3: Um alerta antigo
QUARTA – Hb 10.37: Pouco tempo para a volta de Jesus
QUINTA – 2 Pe 3.9: 0 Senhor não retarda sua promessa
SEXTA – Ap 12.12: 0 juízo de Deus contra o Diabo
SÁBADO – Ap 22.10: O tempo final está próximo
 
OBJETIVOS
1 APRESENTAR alguns dos sinais da volta de Jesus Cristo;
2 EVIDENCIAR mais alguns sinais da volta de Jesus Cristo;
3 COMPREENDER o que o Senhor Jesus Cristo ensinou a respeito da vigilância.
 
INTERAÇÃO
Prezado (a) professor (a), na Lição deste domingo estudaremos alguns dos sinais da vinda de Jesus apresentados no Sermão Profético de Mateus 24.
Será que você, professor (a), conhece os sinais escatológicos revelados nas Escrituras Sagradas a respeito da vinda de Jesus? Precisamos conhecer a Palavra de Deus para ensiná-la e especialmente para não sermos enganados. Um dos sinais da primeira vinda de Jesus é o surgimento de falsos profetas, falsos mestres e falsos cristos. Atualmente, muitas heresias, a respeito da Escatologia Bíblica estão sendo disseminadas nas redes sociais, alcançando um número incontável de jovens. Que você e seus alunos estejam alertas, vigilantes, se dedicando ao estudo da Palavra de Deus para que venhamos fazer parte do Arrebatamento da Igreja que pode acontecer a qualquer momento.
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Professor (a), para a introdução da aula deste domingo, sugerimos que você faça aos alunos a seguinte indagação: “Qual o mais importante discurso profético proferido por Jesus?” Ouça os alunos com atenção e incentive a participação de todos. Em seguida, explique que o mais importante discurso profético de Jesus se encontra no Evangelho de Mateus capítulo 24.
Em seguida, faça outra pergunta: “Por que 0 Arrebatamento da Igreja ainda não aconteceu?” Enfatize que 0 calendário de Deus não é 0 nosso; Ele é 0 Senhor do tempo. Explique que na atualidade muitos rejeitam a ideia de que haverá um fim e um juízo final.
Outros também questionam a promessa do Arrebatamento da Igreja. Diga que Deus é bom e tem dado tempo para que a humanidade se arrependa dos seus pecados e receba a Jesus Cristo como único e suficiente Salvador. Contudo, não podemos confundir a paciência, a bondade e a longanimidade de Deus com uma possível mudança de planos. Conclua lendo com os alunos Apocalipse 22.7: “Eis que presto venho”.
 
TEXTO BÍBLICO
Mateus 24.1-14
1.E, quando Jesus ia saindo do templo, aproximaram-se dele os seus discípulos para lhe mostrarem a estrutura do templo.
2.Jesus, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada.
3.E, estando assentado no monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos, em particular, dizendo: Dize-nos quando serão essas coisas e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?
4.E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane,
5.porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos.
6.E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.
7.Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares.
8.Mas todas essas coisas são o princípio das dores.
9.Então, vos hão de entregar para serdes atormentados e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as gentes por causa do meu nome.
10.Nesse tempo, muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão.
11.E surgirão muitos falsos profetas e enganarão a muitos.
12.E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos se esfriará.
13.Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.
14.E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim.
 
INTRODUÇÃO
Em breve 0 mundo será surpreendido com o desaparecimento súbito de um povo santo, e após o Arrebatamento da Igreja teremos a Grande Tribulação. Um período de dores nunca antes experimentado Não sabemos 0 dia que se dará 0 Arrebentamento da Igreja, mas Deus sempre avisa antecipadamente ao seu povo a respeito dos seus grandes feitos, e em relação à volta de Jesus não é diferente (Am 3.7).
Jesus falou a respeito dos sinais, sofrimentos e calamidades que vão acontecer antes do Arrebatamento, 0 Mestre comparou as tribulações às contrações que são sentidas pelas mulheres antes do nascimento de uma criança. Jesus disse que seria o princípio de dores. O Salvador alertou aos homens para que observem os sinais que antecedem a sua Segunda Vinda.
Alguns dos sinais são: catástrofes na natureza, 0 surgimento de falsos cristos, falsos profetas, guerras, fome, pestes, etc. Estamos vivendo os momentos cruciais da história humana e a Igreja não pode ficar indiferente. É, pois, momento de despertar, fazer escolhas corretas, pois o tempo do fim se aproxima.
 
 I – SINAIS DA VOLTA DE JESUS CRISTO
      1. Catástrofes naturais. Os desastres naturais foram profetizados por Jesus, no Sermão Profético de Mateus 24, como um dos sinais dos últimos dias: o sol escurecerá, a Lua não dará a sua luz, as potências dos céus serão abaladas, terremotos em vários Lugares, fome, pestes (Mt 24.7,29,30). Já podemos ver alguns desses sinais se cumprindo. Estejamos vigilantes!
No capítulo 24 de Mateus vemos que Jesus, ao falar a respeito do fim, cita os dias da geração de Noé (Mt 24.37). Naqueles dias as pessoas estavam despercebidas, vivendo suas vidas como se não houvesse o Dia do Juízo.
Jesus, falando a respeito da vinda do Reino de Deus, declarou: “Onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão os abutres” (Mt 24.28 – NAA). Assim como os abutres agem com rapidez quando veem uma “carniça” ou um corpo sem vida, assim também quando as condições morais e espirituais da sociedade estivessem apodrecidas, Ele voltaria a este mundo trazendo juízo sobre os ímpios. Porventura, não temos observado no momento atual, uma devassidão moral como nunca antes vista? O Senhor avisou que haveria situações espantosas na Terra, “grandes terremotos, epidemias (como a COVID-19) e a fome em vários lugares” (Lc 21.11). Esses são alguns dos avisos divinos à população mundial.
     2. Aumento da rebelião e conflitos. Jesus mencionou também a respeito do rompimento da paz ao falar a respeito de “guerras, rumores de guerras, nação contra nação e reino contra reino” (Mt 24.6,7). O princípio de dores seria marcado por um crescente processo de rebelião e conflitos de todas as ordens. As guerras foram e são constantes em muitas nações. Em 2014, por exemplo, uma pesquisa realizada pela ONU (Organização das Nações Unidas) entre 162 países demonstrou que somente onze países não estavam envolvidos em guerras e conflitos.
Atualmente, com o aumento do ódio, da maldade e da rebelião, temos visto também guerras e conflitos não somente entre as nações, mas no meio das famílias. Os casos de violência contra as mulheres e as crianças crescem a cada dia. A violência na vida familiar e social vem aumentando de maneira vertiginosa. Diante de tanta crueldade, podemos afirmar: O fim de todas as coisas está próximo!
    3. O aumento da maldade e dos conflitos. O período que antecedente à volta de Jesus, será marcado por grandes tensões nunca vistas antes. Sabem por quê? A Bíblia tem a resposta: “Porque o diabo desceu a vós e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo” (Ap 12.12). Por isso, Jesus previu o aumento das ações diabólicas, como o aparecimento de falsos cristos e falsos profetas (Mt 24.5,11; 1 Jo 2.18) e perseguições aos crentes (Mt 24.9), além da multiplicação da iniquidade.
Atualmente, temos visto o avanço da Igreja, mas também o aumento das atividades satânicas na Terra. Os grupos de satanistas têm aumentado em muitas partes do mundo. Nos Estados Unidos há a diminuição gradativa do número daqueles que creem em Deus e no continente europeu a sociedade mergulhou no obscuro abismo do relativismo ético moral e no materialismo. De um modo geral, os homens estão mais perversos, para comprovar tal verdade basta assistir aos noticiários. O mundo jaz no maligno, mais do que nunca.
 
II – MAIS SINAIS DA VOLTA DE JESUS
    1. Sofrimento e martírio dos cristãos. Jesus alertou os apóstolos e discípulos sobre momentos de muito sofrimento e martírio, pois eles ainda não tinham padecido pela fé em Cristo, mas haveria um tempo em que teriam de enfrentar tormentos, prisões, mortes além de serem odiados por todos (Mt 24.9).
O tempo passou e os discípulos de Jesus continuam sofrendo perseguições. Tomemos como exemplo o que vem acontecendo com os cristãos no Oriente Médio.
Em 2010 os cristãos eram cerca de 13,6% da população, mas alguns anos depois esse percentual caiu para 4,3%. Essa queda se deve a uma ferrenha perseguição religiosa. Muitos têm sido mortos, atormentados, expulsos de seus lares, ou mesmo foram forçados a negar a fé. Contudo, a perseguição religiosa aos cristãos não está restrita ao Oriente Médio, pois segundo dados de algumas agências de notícias, no ano 2013, 100 mil cristãos foram mortos, por causa da sua fé, em diferentes partes do mundo. No ano 2018. a morte de cristãos, por perseguição religiosa, aumentou 40% no mundo e em 2020, 350 milhões de cristãos foram perseguidos em diferentes continentes.
    2. Falsos profetas. Jesus alertou que nos últimos dias haveria o surgimento de falsos profetas (Mt 24.11). Durante a História, muitos deles se levantaram, mas sem dúvida, esse número tem aumentado significativamente na atualidade.
Em nosso século, vários homens já afirmaram ser Jesus Cristo ou seu profeta, e atraíram muitos seguidores. Não podemos nos esquecer de que Satanás é o pai da mentira e que ele está atuando na Terra com grande ira, sabendo que pouco tempo lhe resta. A Igreja precisa estar alerta, pois estamos vivendo tempos trabalhosos. Se não vigiarmos, seremos enganados dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios (1 Tm 4.1).
     3. O esfriamento do amor. Jesus disse que por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos esfriará (Mt 24.12). Os dias que antecedem o Arrebatamento da Igreja serão muito difíceis, pois serão marcados pela falta de amor, de discernimento espiritual (os falsos profetas enganarão a muitos), escândalos, traições, ódio e uma grande apostasia. Porventura não é isso que estamos vendo acontecer? Os homens estão vivendo em rebelião contra o Altíssimo, em profundo desamor, fazendo a vontade da carne e dos seus próprios pensamentos.
Muitos crentes estão vivendo segundo os prazeres deste mundo. Eles querem chegar ao “topo”, desejam fama e dinheiro, a qualquer custo, e não pensam, muitas vezes, nas consequências das suas escolhas erradas. Estes já perderam o primeiro amor por Jesus Cristo e pelo próximo.
O prazer propiciado pelo pecado e as obras da carne pode até ser agradável, porém no fim de todas as coisas haverá o juízo de Deus. A recompensa pelo pecado será a morte. Muitos crentes precisam saber onde caíram, se arrependerem de seus pecados e novamente retornarem ao primeiro amor(Ap 2.4,5).
 
 III – JESUS FALA A RESPEITO DA VIGILÂNCIA
     1. Sempre alertas. Jesus disse: “Olhai, vigiai e orai, porque não sabeis quando chegará o tempo” (Mc 13.33). Ele estava nos alertando a respeito da necessidade de estarmos vigilantes acerca da sua Segunda Vinda. A primeira ação mencionada no texto de Marcos 13.33 é “olhar” (gr. blepo), que significa “perceber” ou “estar de sobreaviso”
Muitos estão dormindo o sono da indiferença. Temos que reconhecer que é tempo de sairmos do marasmo da fé e nos voltarmos para os pés do Senhor em oração e vigilância. A vigilância é fundamental para a manutenção de um padrão de espiritualidade saudável e que agrada a Deus.
O Senhor Jesus enviou uma carta à igreja de Éfeso, exortando-a que se lembrasse de onde havia caído, e voltasse a fazer o que era correto (Ap 2.5). Ainda é tempo de se arrepender e recomeçar uma vida santa com Jesus.
    2. Sempre vigiando. A segunda ação mencionada por Jesus em Marcos 13.33 é “vigiar” (gr. agrupneo), o qual pode ser traduzido também como “estar ou permanecer acordado, estar atento, pronto, cuidadoso”. A vigilância foi amplamente mencionada por Jesus no sermão profético de Mateus 24. O Mestre nos mostra que existe uma recompensa para quem é vigilante: A vida eterna ao lado de Jesus Cristo, o Rei dos reis. Aqueles que são displicentes também serão recompensados: Passarão a eternidade longe de Deus. Não se distraia com os prazeres desse mundo! Não troque as bênçãos eternas por experiências e prazeres momentâneos.
    3. Sempre em oração. A última ação determinada por Jesus no texto de Marcos 13.3 é “orar” (gr. proseuchomai). Orar é entrar, como filho, na sala do trono de Deus e falar diretamente com o Todo-Poderoso. Não há nada melhor do que desfrutar da presença de Deus por intermédio da oração. O Senhor se agrada quando os seus filhos buscam a sua presença e não somente os seus presentes.
 
SUBSÍDIO 1
“Já está próximo o fim de todas as coisas; portanto, se sóbrios e vigiai em oração (1 Pe 4.7), Pedro e os outros apóstolos perceberam que tinham se aproximado dramaticamente da consumação do plano de Deus para o mundo. A referência de Pedro ao fim está expressa por um verbo em um tempo perfeito no texto grego. Isto significa a ação envolvida em uma realidade presente, como consequências futuras. Poderíamos, com igual exatidão, interpretar: ‘Já começou o fim de todas as coisas’. Para o apóstolo Pedro, o fim do século era uma realidade presente.
A primeira vinda de Cristo deu início a consumação dos séculos (At 2.14-20; Hb 1.2); a segunda vinda a concluirá (Mt 24 30). Portanto, toda a era da Igreja pode ser considerada como “os últimos dias”.
As Escrituras também falam do fim como um evento futuro. O apóstolo Paulo predisse:”[…] Nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos” (2 Tm 3.1). O versículo inicial de Apocalipse faz referência às “coisas que brevemente devem acontecer” (Ap 1.1), e prossegue avisando-nos que “o tempo está próximo” (Ap 1.3). As Escrituras também apresentam a vinda de Cristo como uma realidade iminente” (LAHAYE, Tim (Ed.). Enciclopédia Popular de Profecia Bíblica. Rio de Janeiro: CPAD, 2008, p. 432).
 
SUBSÍDIO 2
Que tempo estamos vivendo agora?” Pedro escreveu que Cristo foi “[…] manifestado, nestes últimos tempos” (1 Pe 1.20). Mas ele também se referiu à vinda de Cristo como um evento futuro, “[…] prestes para se revelar no último tempo” (1 Pe 1.5). Ele claramente via os últimos tempos como uma realidade presente e também como um evento futuro.
A Bíblia afirma três fatos sobre a vinda de Cristo e a consumação dos séculos. Em primeiro lugar, estamos vivendo os últimos dias. Cada geração de crentes viveu com esperança do retorno iminente de Cristo. Nós cremos que Ele pode retornar para buscar-nos a qualquer momento. Não há nenhum evento profético para se cumprir antes que Ele venha arrebatar a sua Igreja.
Na verdade, determinados eventos, como o retorno de Israel a sua terra, indicam que estamos próximos do fim. A vinda de Cristo está cada vez mais próxima. A Bíblia promete enfaticamente que Ele está vindo outra vez (Lc 12.40; Fp 3.20). As Escrituras insistem que estejamos vigilantes, esperando prontamente o retorno do nosso Senhor. Cada dia que passa deixa-nos um dia mais próximo. Quer Ele retorne na próxima semana, quer depois de mil anos, devemos viver como se Ele voltasse hoje” (LAHAYE, Tim (Ed.). Enciclopédia Popular de Profecia Bíblica. Rio de Janeiro: CPAD. 2008, pp. 432,433).
 
CONCLUSÃO
0 Senhor Jesus prometeu estar conosco todos os dias em que vivermos aqui na Terra, até a consumação dos séculos (Mt 28.20). No Arrebatamento da Igreja, estaremos para sempre com o Senhor. Nossa comunhão com Ele será total e completa e o veremos como Ele é (1 Jo 3.2) Os sinais são alertas divinos para não ficarmos aqui quando a trombeta de Deus soar e Jesus vier buscar a sua Noiva (1 Co 15.51.52).
 
HORA DA REVISÃO
 
1. De acordo com a lição, cite alguns sinais da volta de Jesus apresentados em Mateus 24.
Catástrofes naturais, aumento da rebelião e conflitos e aumento da maldade.
 
2. Os sinais da volta de Jesus estão se cumprindo?
Sim. Diante do cumprimento dos sinais podemos afirmar que em breve Jesus virá.
 
3. Como é chamado o capitulo 24 de Mateus?
É chamado de o grande Sermão Escatológico de Jesus.
 
4. Qual a geração que Jesus usou como exemplo para falar do fim?
Jesus citou a geração de Noé.
 
5. Qual o significado da palavra “olhar” no grego?
O verbo olhar significa “perceber” ou “estar de sobreaviso”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *