John F. MacArthur Jr. afirmou: “Um recente best-seller evangélico
alerta os leitores a se colocarem de prontidão contra pregadores cuja ênfase
está no interpretar as Escrituras e não no aplicá-las. Espere um pouco. Isto é
um conselho sábio? Não, de modo algum. Não existe o perigo da doutrina
ser irrelevante; a verdadeira ameaça é a abordagem não-doutrinária em busca
de relevância sem doutrina. O cerne de tudo que é verdadeiramente prático
encontra-se no ensino das Escrituras” (Com Vergonha do Evangelho, Editora
Fiel, p.91).
Escrevi este capítulo com o objetivo de enfatizar que existem quatro
coisas imprescindíveis a todo pregador, nesta ordem: fidelidade a Deus, que
nos dá a mensagem (Jo 7.16; 1 Co 11.23); interpretação correta das
Escrituras (2 Tm 2.15), levando-se em conta os princípios da Hermenêutica;
exposição bíblica de acordo com a Homilética (Is 50.4); e comportamento
ético diante dos ouvintes (At 2.22a; 7.2a).
O que é Hermenêutica? Robert H. Stein, em sua obra Guia Básico
para Interpretação da Bíblia, editado pela CPAD (p.19), definiu:
Normalmente, o termo “hermenêutica” assusta as pessoas. Mas
isso não deveria acontecer. A palavra se origina do termo grego
“hermeneuein”, o qual significa “explicar” ou “interpretar”. Na
Bíblia, é usado em João 1.42 e 9.7, Hebreus 7.2 e Lucas 24.27.
Na versão Revista e Corrigida, o último texto traz o seguinte:
“E, começando por Moisés e por todos os profetas, explicavalhes
o que dele se achava em todas as Escrituras… “A palavra
traduzida em uma versão por “explicar” e em outra por “expor”
é “[di]hermeneuein”.
Como eu já disse no livro Erros que os Pregadores Devem Evitar,
editado pela CPAD, essa matéria é a arte e a ciência de interpretar textos. O
termo está associado à mitologia greco-romana. Hermes (Mercúrio), filho de
Zeus (Júpiter), era o deus do comércio, das lutas, dos exercícios olímpicos e
de tudo que demandasse habilidade e destreza. Era também o intérprete da
mensagem de Zeus. Daí Hermenêutica.
Como matéria teológica, a Hermenêutica serve à Exegese.
Juntas, formam a chamada Teologia Exegética, que enfatiza o
emprego das regras hermenêuticas, aliadas à aplicação de matérias como
Filologia Sagrada, Introdução Bíblica, Teologia Histórica, Teologia Bíblica e
Teologia Sistemática, na interpretação das Escrituras.

 

fonte: Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar – Ciro Sanches Zibordi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *