Há algum tempo, participei de uma escola bíblica no Nordeste do
Brasil, e lá estava um conhecido pregador de massa. Suas principais
características: brincalhão, contador de piadas, cortejador, oferecido,
imodesto e sem compromisso com a Palavra de Deus. Quer saber como foi
sua pregação? Um festival de gritos, tal qual uma maritaca. Mas o povo
vibrou com os seus gracejos.
O que mais me chamou atenção na performance do tal animador foi a
frase: “Profetize para você mesmo”. Ora, com quem ele aprendeu tamanho
absurdo? Qual foi o profeta, nas páginas sagradas, que profetizou para si
mesmo? Nem Jesus fez isso! E a regra bíblica de que devem falar apenas
dois ou três profetas — e não todos, ao mesmo tempo —, enquanto os outros
julgam? Nada vale o que está escrito em 1 Coríntios 14?
Quem julga uma auto-profecia? E se ela tiver origem no coração
humano ou provier do Maligno? A Palavra de Deus não diz que o coração é
enganoso (Jr 17.9)? Ela não nos alerta quanto aos espíritos enganadores (1
Tm 4.1)? Como, pois, alguém pode mandar os crentes profetizarem para si
mesmos? Só mesmo um irresponsável para fazer uma coisa dessa.

 

fonte: Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar – Ciro Sanches Zibordi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *