Esta mensagem quer trazer até você uma realidade: Deus está lhe convidando a fazer parte de seu rol de amigos íntimos e pessoais. Não estou falando aqui de um grupo de colegas de trabalho, que ao acabar o expediente vão embora e só se relacionarão no dia seguinte; estou falando de AMIZADE, no sentido profundo da palavra, onde duas pessoas se doam mútuamente, para ver o outro bem e feliz.

É assim que Deus quer nos ver! Você já pensou em Deus fazendo de tudo para lhe ajudar? Para lhe ver feliz? Quem não gosta quando algum amigo lhe presenteia com algo valoroso ou lhe oferece ajuda em um momento difícil? Já pensou Deus se dispondo a estar contigo, do seu lado, vinte e quatro horas por dia, só para lhe ver bem? Sim! Ele está disposto a fazer isto, porque o Senhor quer ser seu amigo pessoal, íntimo; Ele quer ajudar a resolver os seus problemas, curar as suas enfermidades, trazer a alegria de volta a sua vida, o amor de volta ao seu lar… mas para isso, primeiro devemos aceitar o convite que Ele nos faz, para participarmos da maior festa que foi organizada em todas as épocas e em todos os lugares: a festa da conversão!

Lucas 15:7 Digo-vos que, assim, haverá maior júbilo no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.

Lucas 15:10 Eu vos afirmo que, de igual modo, há júbilo diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.

 

 

LUCAS, Capítulo 14, versos:

  • Ele, porém, respondeu: Certo homem deu uma grande ceia e convidou

  • À hora da ceia, enviou o seu servo para avisar aos convidados: Vinde, porque tudo já está

  • Não obstante, todos, à uma, começaram a escusar-se. Disse o primeiro: Comprei um campo e preciso ir vê-lo; rogo-te que me tenhas por

  • Outro disse: Comprei cinco juntas de bois e vou experimentá-las; rogo-te que me tenhas por

  • E outro disse: Casei-me e, por isso, não posso

  • Voltando o servo, tudo contou ao seu senhor. Então, irado, o dono da casa disse ao seu servo: Sai depressa para as ruas e becos da cidade e traze para aqui os pobres, os aleijados, os cegos e os

  • Depois, lhe disse o servo: Senhor, feito está como mandaste, e ainda há

  • Respondeu-lhe o senhor: Sai pelos caminhos e atalhos e obriga a todos a entrar, para que fique cheia a minha

 

Lemos neste texto, do Evangelho de Lucas, uma história interessante, com parâmetros interessantes. Temos aqui, logo no primeiro versículo do texto três pontos de raciocínio: 1- Um certo homem; 2- Grande ceia (festa); 3- Convidados.

Vemos aqui uma revelação tremenda sobre como Deus age para trazer as pessoas ao Seu convívio. Ele é todopoderoso, mas não nos ofende. Deus quer que estejamos ao seu lado, para que possa nos cuidar. De que maneira um pai pode cuidar de seu filho, estando ambos longe um do outro? Precisam estar juntos, e desta mesma forma é o Senhor: Ele te quer junto Dele, para poder cuidar de você. E a grande ceia, aqui mencionada, nada mais é do que a Grande Ceia do Cordeiro, descrita no livro de Apocalipse. Veja: “Então, me falou o anjo: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E acrescentou: São estas as verdadeiras palavras de Deus” (Apocalipse 19:9). Percebemos aqui que o “certo homem” e a

“grande ceia” nada mais são do que o próprio Jesus Cristo, agora ressuscitado e glorificado pelo Pai, convidando as pessoas de todas as nações, raças, religiões, culturas, para se achegarem junto a Ele, e assim formarem um elo de amizade eterna, proporcionando a salvação de suas almas.

Percebendo isto, notamos imediatamente que os convidados somos nós, os pecadores que carecem da glória de Deus (Romanos 3:23 pois todos pecaram e carecem da glória de Deus”).

Uma coisa interessante de se perceber neste relato de Jesus, é que Deus não desiste de nós. Deus não desiste de você, amigo leitor! Muitos já desistiram, talvés até te abandonaram, mas o Senhor Jesus Cristo não! Perceba isso no decorrer da leitura:

  • À hora da ceia, enviou o seu servo para avisar aos convidados: Vinde, porque tudo já está

  • Não obstante, todos, à uma, começaram a escusar-se. Disse o primeiro: Comprei um campo e preciso ir vê-lo; rogo-te que me tenhas por

  • Outro disse: Comprei cinco juntas de bois e vou experimentá-las; rogo-te que me tenhas por

  • E outro disse: Casei-me e, por isso, não posso

 

Quando a festa estava preparada, Jesus mandou chamar os CONVIDADOS DE HONRA, para que viessem e se assentassem a mesa, junto Dele. Perceba que a festa foi preparada para pessoas que Jesus já conhecia, pois estava esperando-os. Ele os conhecia porque havia pago um alto preço por cada um deles, um preço de Sangue, na Cruz do Calvário.

Perceba que esta história, relatada no Evangelho de Lucas, não se trata de uma descrição cronológica, marcada de fatos e acontecimentos temporais. Trata-se de uma revelação de Deus sobre os três estágios do convite de Deus para o arrependimento e para a conversão.

 

O PRIMEIRO

Um Convite de Honra




 

Os talheres estavam postos, junto aos pratos de porcelana e aos copos de cristal. As toalhas e guardanapos estavam limpíssimos e os empregados prontos e a postos. Então Jesus entra na sala do banquete, magestosa e divinamente vestido com um manto de linho branco finíssimo e tinto de sangue. Ele tras no seu peito um cinturão de ouro e em seus pés uma bota de bronze, reluzente. Observa todos os detalhes e sorri, feliz. Ele tem certeza que os convidados irão gostar da recepção. Tudo estava tão lindo, mas eles mereciam, afinal, eram amigos íntimos e pessoais do Senhor. Em um gesto com sua  mão direita, Ele ordena que os servos desçam e busquem os convidados de honra, mas eles não vêm. Todos dão desculpas ridículas para não estarem com Jesus. Muitos inventam mentiras, outros se recusam a ir com Ele.

O primeiro convite que Deus nos faz é um Convite de Honra. Somos o principal convidado para ir à uma igreja evangélica. Um amigo, um parente, um conhecido, até mesmo um estranho, nos faz o convite. É Deus nos convidando através desta pessoa, mas não é um convite normal, é um Convite de Honra, Especial. Se aceitamos, seremos bem recebidos, honrados. Teremos nossas necessidades supridas pelo Senhor e nos tornaremos amigos de Deus. Quem não quer ser amigo pessoal de Deus?

Deus estabeleceu um convite de honra para você! Você é o convidado especial. Muitas pessoas são especiais para você, mas você é o especial de Deus. Ele preparou uma grande festa e te chamou para sentar ao lado dele. Quando somos convidados de

honra, entramos com a nossa melhor roupa, com um sorriso nos lábios, com a face erguida, afinal, estamos sendo honrados pelo Todopoderoso. É um privilégio.

Se você ouviu esta mensagem ou está lendo neste livreto pela primeira vez que entrou em uma igreja evangélica, é porque você aceitou o Convite de Honra. Mas infelizmente muitos não aceitam este convite. Fazem como os convidados da história que lemos em Lucas, inventam desculpas ou mentiras para não ir à igreja, e acabam perdendo a oportunidade de serem honrados por Deus e de ter os seus problemas resolvidos pelo Senhor dos senhores e Rei dos reis.

Caso você veio à igreja através do convide de alguém, feliz e espontâneamente, saiba que você aceitou o Convite de Honra e Deus está feliz contigo. Renda-se à Ele e agrada-te do Senhor e Ele satisfará os desejos do seu coração! (Salmo 37:4).

 

O SEGUNDO

Um Convite de Humilhação

Percebemos agora que o relato descrito no Evangelho de Lucas agora muda de época, muda de tempo, mas não de personagens. Os servos voltaram ao seu Senhor e lhe contaram as desculpas que haviam ouvido. Isso desagradou o Senhor e lhe entristeceu o coração, fazendo-O tirar a benção dessas pessoas e se afastando delas.

Consequentemente, quando Deus se afasta de uma pessoa, ela passa a sofrer as piores dificuldades em sua vida. Deixam de ser ricos compradores de terras e gado para serem pobres moradores de rua e becos da cidade:

  • Voltando o servo, tudo contou ao seu senhor. Então, irado, o dono da casa disse ao seu servo: Sai depressa para as ruas e becos da cidade e traze para aqui os pobres, os aleijados, os cegos e os

 

Também houve um problema comum: as enfermidades atacaram essas pessoas, porque haviam se negado a aceitar um convite do Senhor. Antes eram saudáveis, mas agora aleijados, cegos e coxos. Mesmo assim Jesus tem misericórdia deles, e manda os convidar para a festa, mas agora, não mais com honra e sim com humilhação.

Quando você recebe um convite para visitar uma igreja evangélica e aceita, acaba entrando na igreja de cabeça erguida, feliz, sorridente, conhecendo pessoas, fazendo novos amigos. Realmente é recebido com honra, porque você está bem, sua saúde vai bem, seu emprego também. Muitos, que negam ir à igreja quando estão em situação boa, prósperos e saudáveis, resolvem ir quando uma enfermidade os ataca ou quando os negócios estão indo de mal a pior, ou quando a família está sendo destruída pelas brigas e pelos vícios. Então você já não é mais o convidado de honra, porque rejeitou o primeiro convite. Agora, é um Convidado de Humildade.

Entra na igreja com a cabeça baixa, porque está falido. Precisa da compaixão das pessoas para orarem por você porque está enfermo. Necessita da ajuda dos estranhos, porque não tem o que comer em casa. Está humilhado, porque quando a sutiação era boa, não aceitou o convite de honra. Mas mesmo assim, Deus tem o amor maior que todos e deseja restaurá-lo! Ele não mandou os seus servos tirarem a mesa. O banquete está lá, mesmo para os convidados de humildade. Ele restaura as forças do cansado e do oprimido. Muitos chegam na Casa de Deus encurvados, cansados, porque estão carregando um jugo, uma carga pesada demais, que o diabo colocou em suas vidas. Mas mesmo que você respondeu ao convite de Jesus na segunda vez, Ele quer te restaurar e estabelecer contigo uma Nova Aliança!

MATEUS 11:

 

  • Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.

  • Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa

  • Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é

 

O Senhor nos cuidou, porque nos achegamos à Ele. (Hebreus 4:16 Acheguemo- nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.) Tirou nosso fardo pesado, nossas cargas, problemas, preocupações e nos deu ALÍVIO. Mesmo quando aceitamos o segundo convite, Deus está disposto a nos dar alívio, refrigério, descanso.

O TERCEIRO

Um Convite de Força




 

Existem pessoas que, mesmo Deus insistindo em convidá-lo para a Sua festa, recusam e não vão. Conheço pessoas que foram convidadas para irem a igreja durante anos, várias vezes. Eles seriam os convidados de honra para Deus, mas perderam esta oportunidade. Chegou um dia em que o diabo destruiu a sua família: o esposo foi embora com a amante, abandonando a mulher e os filhos, o que gerou uma grande crise, criando uma situação insistentável. Esta mulher, numa situação tão delicada, recebeu o segundo convite, o da humildade, para ir à igreja e ser restaurada pelo Senhor, mas mesmo assim não quis ir.

Existem pessoas que não conseguem ver que a solução está na igreja! José e Maria, pais de Jesus aqui na terra, se perderam dele quando ele ainda tinha doze anos de idade, em Jerusalém. Havia alguns dias que não o viam e estavam desesperados. Procuraram em todos os lugares: hospedarias, hospitais, departamentos de polícia, praças… só não haviam procurado no lugar certo: a igreja. Quando tiveram a “brilhante” idéia de procurar Jesus na igreja, o encontraram no meio dos doutores da lei, ensinando- os a cerca das coisas de Deus. Muitas pessoas ficam procurando Jesus em tantas coisas, tantos lugares, mas não vão encontrá-Lo nunca, porque Ele está na igreja, ensinando àqueles que querem ouvir o Seu chamado e aprender com Ele: “aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma”.

Existe o último convite que Jesus faz para uma pessoa: o convite da força.

23 Respondeu-lhe o senhor: Sai pelos caminhos e atalhos e obriga a todos a entrar, para que fique cheia a minha casa.

 

Conversei certa vez com um homem que foi levado em uma cadeira de rodas para uma igreja evangélica que eu estava pregando, e o perguntei se era a sua primeira visita à uma igreja. Ele me respondeu: “Meu filho, centenas de vezes os crentes me convidaram para ir à igreja, mas eu tinha dinheiro, carros, mulheres e achava que isso era tudo. Hoje vim nesta cadeira de rodas, porque além de perder tudo o que tenho, perdi minha saúde. Sinto que Deus me puxou a força para cá nesta noite”. Foi um relato emocionante. Ele poderia ter entrado triunfantemente por aquela porta, caminhando, nas outras vezes que o pessoal da igreja o convidou para os cultos, mas se recusou, inventou desculpas. Naquela noite, ele entrou empurrado em uma cadeira de rodas, humilhado e necessitado de um milagre. Resolveu responder ao terceiro convite, o da força.

Certa vez, quatro amigos souberam que Jesus estava pregando em casa e que muitos milagres e prodígios aconteciam lá. Lembrando-se eles de um amigo que era aleijado, correram até ele e o trouxeram arrastado em uma maca. Esta história está

descrita no Evangelho de Marcos, no capítulo dois. O que eu fico me perguntando é: Jesus morava naquela casa, pois era em Cafarnaum e ele havia se mudado para lá (Mt. 4:13). Os quatro homens conheciam bem Jesus e conheciam a casa de Jesus por dentro, porque nos conta o texto que eles, ao chegarem lá, encontraram uma grande multidão, então subiram ao telhado e lá fizeram um buraco no teto, baixando o aleijado EXATAMENTE nos pés de Jesus. Só quem conhece uma casa por dentro sabe o local exato e habitual de onde o dono da casa costuma sentar-se, para que pudessem quebrar exatamente em cima. Isso nos mostra que esses quatro homens tinham intimidade com Jesus, então é um raciocínio óbvio e claro que provavelmente eles já haveriam falado de Jesus para aquele aleijado antes. A Palavra de Deus não nos conta como este homem ficou aleijado e nem se ele era um aleijado de nascença. Creio que não era e que havia ficado aleijado a pouco tempo, talvés devido a algum acidente, porque caso contrário, aqueles amigos já haveriam levado ele até Jesus, para ser curado.

O que me chama a atenção é que esses quatro amigos devem ter convidado o aleijado para conhecer Jesus antes, quando o aleijado não era aleijado, e ele deve ter inventado uma desculpa qualquer, dessas que as pessoas inventam para não ir à igreja. Se ele aceitasse, não precisaria ser baixado por cordas, de um telhado quebrado, aos olhos atônitos e observadores de todos. Ele entraria pela porta, com honra, feliz, porque seria um convidado do Dono da Casa. Mesmo assim, Jesus não desistiu dele, e penso que quando este aleijado se acidentou, ficou em uma situação difícil, porque certamente não pôde mais trabalhar e consequentemente o sustento de sua casa ficou precário. Mesmo assim, não aceitou o segundo convite, da humildade, para ir ao encontro de Jesus, em Sua Casa (a igreja) e ser restaurado por Ele. Não havendo mais outra alternativa, o terceiro convite surgiu: a força. Os amigos tomaram uma atitude: levar ele arrastado até Jesus. Eles o obrigaram a entrar na casa do Mestre, mas mesmo obrigado, Jesus teve amor e compaixão por aquele jovem, e lhe perdoou os pecados, curando-o imediatamente.

Mesmo que você tenha vindo a igreja forçado, obrigado por alguém, carregado, arrastado. Deixe Deus fazer morada no seu coração, restaurar a tua alma e te fazer sair caminhando, de cabeça erguida, no meio de todos.

Existem três convites que Deus lhe faz. Não vacile! Venha para a igreja logo no primeiro e seja honrado pelo Senhor.

 

FONTE : 80 ESBOÇO DE PREGAÇAO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *